Morre aos 98 anos Maxine Powell, “professora” da Motown

Ex-modelo foi responsável pelo Departamento de Desenvolvimento Artístico da gravadora durante a década de 60

Redação Publicado em 15/10/2013, às 14h07 - Atualizado às 14h11

Maxine Powell
Tony Ding / AP

A história da Motown perdeu nesta segunda, 14, uma de suas mais importantes personagens. Maxine Powell, que trabalhou na gravadora durante os anos 60, estava com 98 anos quando morreu de causas naturais em um hospital em Southfield, no estado norte-americano de Michigan.

A triste notícia foi divulgada por Allen Ralws, presidente do Museu Histórico da Motown. Embora Maxine não tenha sido uma estrela nem escrito músicas, especialistas na história da gravadora confirmam que ela foi central na elaboração de propostas artísticas à frente do Departamento de Desenvolvimento Artístico.

Maxine é considerada uma espécie de professora de grupos como Smokey Robinson and the Miracles, Jackson Five e Supremes, que tiveram dela lições de como se portar em cena, além de ideias de figurinos e afins. Ela era considerada um dos diferenciais da gravadora que chamava atenção na época. Em 1975, Diana Ross introduziu Maxine em uma oportunidade na Broadway como “a mulher que me ensinou tudo”.

Nascida em Chicago, em 1924, Maxine foi modelo durante os anos de juventude e estudou moda em Detroit na década de 50. Começou a trabalhar na Motown em 1964, mas deixou a empresa em 1969 para se tornar professora. Deu aulas na universidade Wayne Community College e mais tarde deu aulas particulares a gente como Carol Gist, a primeira afrodescendente a vencer o concurso miss Estados Unidos, em 1990.