Morre aos 53 anos Chrissy Amphlett, cantora de “I Touch Myself”

A australiana lutava contra um câncer de mama e sofria de esclerose múltipla

Rollign Stone EUA Publicado em 22/04/2013, às 11h03 - Atualizado às 20h38

Chrissy Amphlett
AP

Chrissy Amphlett, cantora da banda australiana Divinyls, famosa pelo hit “I Touch Myself”, de 1991, morreu neste domingo, 21, em casa, em Nova York, depois de lutar contra um câncer de mama e esclerose múltipla, noticiou a agência Reuters. Ela tinha 53 anos.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Chrissy anunciou a esclerose em 2007 e levou ao público o câncer três anos depois. O marido dela e baterista do Divinyls Charlie Drayton disse que ela morreu enquanto dormia, cercada de amigos e familiares.

“A luz de Chrissy brilhou muito”, escreveu Charlie em comunicado publicado no site da Associação da Indústria Fonográfica Australiana. “A vida dela foi de paixão e criatividade; ela sempre viveu até o limite. Com a força do seu caráter e sua voz, ela pavimentou um caminho para mulheres fortes, sinceras e sexy.”

Chrissy formou a Divinyls com o guitarrista Mark McEntee, em Sidney, em 1980, e a banda gravou cinco discos entre 1982 e 1996, quando eles se separaram. A vocalista dava ênfase ao sex appeal. No palco, vestia-se com meias arrastão e uniforme de colégio, uma imagem que passou ser a marca registrada da banda depois do sucesso do clipe de "I Touch Myself", o mais famoso single da banda.

A música, do disco Divinyls (1991), foi um hit na Austrália, Reino Unido e nos Estados Unidos, onde alcançou o quarto lugar no Hot 100, da Billboard Hot norte-americana.

Nascida na cidade portuária Geelong, no sul da Austrália, a cantora se mudou para a Europa ainda adolescente. Lá, ela foi presa por cantar nas ruas, ainda antes de voltar para o seu país e fundar o Divinyls. Ela também trabalhou como atriz, atuando ao lado de Russell Crowe no musical Blood Brothers.

Russell tuitou sobre a morte de Chrissy: "Queria Crhissie [sic], a última vez que eu te vi foi no Jardim Botânico, amando a vida e recitando o verso. É assim que lembrarei de você, seu garoto, R.”