Morre Gregg Allman, ex-líder da Allman Brothers Band

Pioneiro do southern rock morreu aos 69 anos, no estado da Geórgia, nos Estados Unidos

Rolling Stone EUA Publicado em 27/05/2017, às 17h50 - Atualizado às 20h13

Gregg Allman
Charles Sykes/AP

Gregg Allman, cantor, músico e compositor que teve um papel essencial na invenção do southern rock, morreu neste sábado, 27, aos 69 anos. De acordo com um comunicado publicado no site dele, Allman “morreu pacificamente em sua casa na cidade de Savannah, na Geórgia." A causa da morte ainda não foi confirmada, mas, nos últimos anos, o músico sofria de problemas crônicos no fígado.

Michael Lehman, empresário e amigo de Allman, disse que "perdeu um querido amigo e o mundo perdeu um músico pioneiro e brilhante." "Ele tinha uma alma gentil e doce, além da melhor risada que já escutei. O amor dele pela família e por seus colegas de banda era tão intenso quanto o amor que ele sentia pelos fãs. Todos vamos sentir sua falta”, completou.

Ainda que Allman dissesse que o termo era redundante, o cantor e tecladista foi pioneiro ao fazer parte da primeira banda de "southern rock", a Allman Brothers Band, ao lado do irmão mais velho dele, Duane Allman.

O som dos Allmans, uma fusão do country blues com o improviso de São Francisco, criou um modelo musical para incontáveis outras bandas que os seguiram.

Em My Cross to Bear (2012), livro autobiográfico dele, Allman revelou os detalhes de uma carreira essencialmente trágica, que incluiu uma ascensão precoce à fama, o uso excessivo de drogas, um romance com uma celebridade, múltiplos casamentos e um transplante de fígado em 2007, após ser diagnosticado com hepatite C.

No ano passado, Allman foi forçado a cancelar uma turnê devido a “sérios problemas de saúde”, que, na época, não foram especificados. O último show do músico aconteceu em maio de 2016, em Atlanta, nos Estados Unidos, em uma apresentação no Laid Back Festival.

Allman deixa a mulher, Shannon Allman, quatro filhos, Devon, Elijah Blue, Delilah Island Kurtom e Layla Brooklyn Allman, e três netos.

Carreira

Gregory LeNoir Allman nasceu em 8 de dezembro de 1947, em Nashville, no estado norte-americano do Tennesse, um pouco mais de um ano após o irmão dele, Duane. O pai dos meninos, o capitão do exército dos Estados Unidos Turner Allman, foi baleado e morreu pouco depois de a família se mudar para Norfolk, na Virginia, em 1949.

Quando criança, Gregg economizou para comprar um violão que logo foi pego pelo irmão mais velho. A primeira banda integrada pelos dois foi a House Rockers, que tinha membros negros e brancos na formação, fato que chocou a mãe dos Allmans. “Tivemos que convencê-la sobre aquilo”, contou Gregg Allman a Cameron Crowe em uma entrevista de 1973, para uma matéria de capa da Rolling Stone EUA, que acabou inspirando o filme feito pelo jornalista, Quase Famosos (2000).

Depois de tocar em bandas como Untils, Shufflers, Escorts e Y-Teens, os irmãos levaram a Allman Joys para a estrada no verão de 1965. A banda se mudou para Los Angeles, onde gravou dois álbuns para a Liberty Records. Trabalhando como músico de estúdio, Gregg foi "descoberto" e ele e o irmão foram convocados para Jacksonville, na Flórida, em março de 1969. Lá, ao lado de Dickey Betts (guitarra), Berry Oakley (baixo), Butch Trucks (bateria) e Jai Johanny "Jaimoe" Johanson (tambores), formaram a Allman Brothers Band.

Além de ser o principal vocalista da banda, ele foi o compositor de grandes hits como “Whipping Post” e “Don’t Keep Me Wonderin’”. O grupo alcançou um sucesso meteórico com os discos Live at the Fillmore East (1971) e Eat a Peach (1972). Duane Allman morreu entre a produção desses trabalhos, em 29 de outubro de 1971, em um trágico acidente de moto.

Em 1973, Allman gravou o primeiro trabalho solo, Laid Back, e em 1975 o músico se casou com a estrela do pop Cher. A soma do sucesso de crítica, o grau de exposição gerado pelo casamento e o apetite de todo o grupo pelas drogas acabou levando ao fim do grupo, que chegou logo após o lançamento do frustrante Win, Lose or Draw, em 1975.

Allman continuou a fazer discos solo ao longo dos anos 1970 e 1980, como Gregg Allman Tour (1974), Playin' Up a Storm (1977) e I’m No Angel (1986). Em 1989, a Allman Brothers Band ganhou uma nova formação e Gregg teve uma espécie de retorno à mídia.

O último show oficial da banda aconteceu em 28 de outubro de 2014, em Nova York. Depois disso, em 2015, ele ainda lançou Gregg Allman Live: Back to Macon GA e tinha um LP, Southern Blood, marcado para chegar às lojas este ano.