Morre Mary Wilson, cofundadora do The Supremes, aos 76 anos

A artista morreu repentinamente em casa, segundo o assessor Jay Schwartz

Felipe Grutter | @felipegrutter (com supervisão de Julia Harumi Morita) Publicado em 09/02/2021, às 09h10

None
Mary Wilson (Foto: Getty Images / Noel Vasquez / Correspondente)

Mary Wilson, aclamada cantora e co-fundadora da banda The Supremes, morreu na última segunda, 8, aos 76 anos.

Quem confirmou a informação foi Jay Schwartz, assessor de longa data de Wilson, que revelou que a artista morreu repentinamente na casa dela em Henderson, Nevada. A causa da morte não foi confirmada.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

A cantora era uma das integrantes originais do Supremes ao lado de Diana Ross, Florence Ballard e Barbara Martin quando assumiram o nome oficial em 1961 - depois de se juntarem em Detroit como The Primettes, em 1959.

O grupo assinou com a Motown Records em 21 de janeiro de 1961 e pouco tempo depois se tornou uma das bandas mais vendidas de todos os tempos. Lançaram canções de sucesso, como "You Can't Hurry Love," "Baby Love" e "Come See About Me." Após virar um trio com a saída de Martin em 1962, Mary Wilson permaneceu no The Supremes até a separação em 1977.

+++LEIA MAIS: 36 anos de ‘We Are The World’ - 5 curiosidades dos bastidores da gravação [FLASHBACK]

Berry Gordy Jr., fundador da Motown Records, disse, em comunicado, ter ficado "extremamente chocado e triste" com a notícia.

“As Supremes sempre foram conhecidas como as 'namoradas da Motown.'" afirmou. “Mary, junto com Diana Ross e Florence Ballard, veio para cá no início dos anos 1960. Depois de uma série de sucessos no primeiro lugar das paradas, [apresentações na] televisão e casas noturnas. Abriram portas para si mesmas, para outros artistas da gravadora e muitos, muitos outros."

Gordy Jr. continuou: “Sempre tive orgulho de Mary. Era uma grande estrela pelos próprios méritos e ao longo dos anos continuou a trabalhar duro para impulsionar o legado das Supremes. Mary Wilson foi extremamente especial para mim. Foi pioneira, diva e fará muita falta."

+++LEIA MAIS: Rapper Lil Uzi Vert está com medo de morrer após implantar diamante na testa

No último sábado, 6, Wilson publicou um vídeo no YouTube no qual falou sobre alguns lançamentos solo, como o disco inédito Red Hot, gravado nos anos 1970 com o produtor Gus Dudgeon.

Na carreira solo, lançou dois discos: Mary Wilson (1979) e Walk The Line (1992). Em 2015 lançou o último single, intitulado "Time to Move On." Também escreveu uma autobiografia e best-seller do New York Times, Dreamgirl: My Life As a Supreme (1986).


+++ PAI EM DOBRO | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL