Morre o cantor de jazz e soul Terry Callier

O último trabalho do músico foi Hidden Conversations, de 2009, com o Massive Attack

redação Publicado em 29/10/2012, às 10h22 - Atualizado às 13h33

Terry Callier
AP

O soul, o jazz e o folk ficaram em silêncio neste último domingo, 28, com a morte de Terry Callier, 67 anos. De acordo com o jornal inglês The Guardian, o músico lutava contra uma doença há alguns anos, mas a causa da morte ainda não foi divulgada.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Callier foi encontrado morto em sua casa em Chicago, cidade onde nasceu e cresceu como músico. Ele foi amigo de infância de Curtis Mayfield e Jerry Butler, com os quais começou a se aventurar no mundo da música.

Foi contratado como compositor da gravadora Chess até conseguir, em 1968, assinar um contrato para um álbum solo, The New Folk Sound of Terry Callier.

Com sucesso nos anos 70, ele fez turnês pelos Estados Unidos e Europa, solo e ao lado de Gil Scott-Heron e George Benson. Na década seguinte, no entanto, decidiu desistir da música e se tornou programador de computadores da Universidade de Chicago.

Foi só no início dos anos 90 que o Callier foi redescoberto por uma nova geração de jazzistas e levado de volta para a música. Desde então, foram dez álbuns, ao vivo e de estúdio. O último foi lançado em 2009, Hidden Conversations, com o Massive Attack, numa mistura de sintetizadores e trip-hop com a voz azeitada de Callier.

Grande hit do músico, “You’re Goin’ Miss Your Candyman” foi incluída no filme francês Intocáveis. Ouça abaixo: