Morre o cartunista Paul Conrad

Vencedor de três prêmios Pulitzer, Conrad, que morreu no último sábado, 4, ficou famoso por suas charges políticas que provocavam a ira das autoridades

Da redação Publicado em 06/09/2010, às 13h23

O cartunista Paul Conrad, que morreu no último sábado, 4
AP

O premiado cartunista Paul Conrad morreu de causas naturais no último sábado, 4, na Califórnia, aos 86 anos, segundo informou o jornal Los Angeles Times.

O ex-jornalista ficou conhecido por causa das muitas charges políticas que produziu ao longo de seus 50 anos de carreira, a maior parte delas ridicularizando figurões importantes do governo dos Estados Unidos. Ele se destacou especialmente com as críticas que fazia a dois presidentes norte-americanos: Richard Nixon e Ronald Reagan. O primeiro declarou certa vez que o cartunista estava em sua famosa lista negra, designação que Conrad considerou uma grande honra.

Os trabalhos dele foram impressos em vários jornais e revistas do mundo todo. Mas Conrad ficou mais famoso por sua atuação como cartunista-chefe do Los Angeles Times, veículo onde publicou por quase 30 anos (entre 1964 e 1993) diversas tirinhas de caráter liberal que provocavam discussões sobre temas como a desigualdade social. Consideradas bastante ousadas para a época, as charges eram um sucesso entre os leitores, mas detestadas pela maioria dos políticos conservadores.

Suas tirinhas em preto e branco lhe renderam três prêmios Pulitzer (1964, 1971 e 1984), conquista que poucos outros cartunistas conseguiram alcançar.