Morre o jornalista e escritor Geneton Moraes Neto

Ele estava com 60 anos e sofreu um aneurisma da artéria aorta; Geneton fez o documentário Canção do Exílio, com depoimentos de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jorge Mautner e Jards Macalé

Redação Publicado em 22/08/2016, às 22h07 - Atualizado às 23h43

Geneton Moraes Neto
Globo/Divulgação

Morreu nesta segunda, 22, aos 60 anos, o jornalista e escritor pernambucano Geneton Moraes Neto. Ele foi vítima de complicações causadas por um aneurisma da artéria aorta e já estava internado desde maio no Rio de Janeiro.

Com mais de quatro décadas de carreira, Geneton, que começou no Diário de Pernambuco aos 16 anos, foi repórter do jornal O Estado de S. Paulo, do Jornal da Globo e do Jornal Nacional, além de correspondente na Inglaterra, repórter e editor-chefe do Fantástico, também da TV Globo. Nos últimos anos, atuava como repórter especial do canal GloboNews.

Geneton, que entre outras personalidades históricas entrevistou presidentes, astronautas, os responsáveis por soltar as bombas em Hiroshima e Nagasaki e o assassino de Martin Luther King, também deixou livros – Hitler/Satalin: o Pacto Maldito e O Dossiê Drummond: a Última Entrevista do Poeta são alguns exemplos– e documentários, como Canções do Exílio, que trouxe depoimentos de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Jorge Mautner e Jards Macalé sobre o tempo durante o qual eles moraram em Londres.