Morre o maior assassino de Pablo Escobar, Popeye, responsável por 3.000 mortes

O narcotraficante John Jairo Velázquez Vázquez morreu aos 54 anos

Redação Publicado em 06/02/2020, às 16h17

None
John Jairo Velasquez (Foto: (AP / William Fernando Martinez)

Na madrugada desta quinta, 6, o narcotraficante John Jairo Velázquez Vázquez morreu aos 54 anos. Conhecido como Popeye, ele é considerado o principal assassino da história do cartel de Medellín, organização chefiada por Pablo Escobar (1949-1993). 

Condenado por matar mais de 200 pessoas, inclusive a própria mulher, e estar por trás do planejamento e execução de vários atentados que causaram a morte de mais de 3 mil pessoas, Popeye estava preso, mas havia sido transferido no final de 2019 para um hospital devido a uma metáfase de um câncer no esôfago. 

Em 1992, havia sido condenado à prisão perpétua por terrorismo, homicídio, tráfico de drogas e outros crimes. Popeye ficou preso por 23 anos e obteve liberdade em 2014. Porém, quatro anos depois, voltou à prisão e respondia por um processo por tentar extorquir famílias do Departamento de Antioquia (região onde o cartel operava). 

O cartel de Medellín foi responsável por mais de 250 sequestros, entre eles o do ex-presidente Andrés Pastrana e Francisco Santos, ex-vice-presidente e atual embaixador da Colômbia nos Estados Unidos. 

Popeye era uma figura controversa e dava longas entrevistas relatando os crimes do cartel. Em algumas ocasiões, ele chegou a pedir desculpas e outras vezes criticou Pablo Escobar. A história de Popeye ganhou uma série de ficção na Netflix sobre a própria vida, Sobrevivendo a Escobar, Alias JJ e também lançou livros sobre a atuação no cartel e chegou a tentar ser youtuber. 


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL