Morre o vocalista do Static-X, Wayne Static, aos 48 anos

Disco de estreia da banda dele, Wisconsin Death Trip, vendeu mais de um milhão de cópias

Rolling Stone EUA Publicado em 03/11/2014, às 17h57 - Atualizado às 18h28

Wayne Static, ex-vocalista do Static-X

Ver Galeria
(16 imagens)

Wayne Static, ex-vocalista da banda californiana de metal Static-X, morreu no último dia 1º. “O músico que teve um disco de platina, Wayne Richard Wells, mais conhecido como Wayne Static, morreu aos 48 anos de idade”, informou a página do Facebook do cantor aos fãs. “Wayne Static foi o frontman enigmático que deu nome ao Static-X, seguindo com uma carreira solo de sucesso posteriormente”. Assessores do músico também confirmaram a informação da morte ao Blabbermouth.

Galeria: ouça as doze melhores e mais pesadas músicas natalinas.

Fundado por Static em 1994, o Static-X se tornou uma das bandas de nu metal mais famosas do mundo por meio do álbum de estreia de 1999 – que vendeu mais de um milhão de cópias – Wisconsin Death Trip, alavancado pelo single “Push It”. Conhecido pelo cabelo espetado e a imensa barbicha, Static e a banda ainda lançaram outros cinco discos durante a década passada, antes de um hiato em 2010, um ano após eles terem lançado o álbum, Cult of Static. Dois anos depois, Static reativou o Static-X como o nome da própria carreira solo.

A causa da morte do vocalista não foi revelada, mas diversos depoimentos de outros músicos amigos de Static deixaram a entender que ele sofreu uma overdose de drogas. “RIP Wayne. Isso é muito triste. Muitos amigos músicos estão morrendo de overdose”, escreveu Jacoby Shaddix, do Papa Roach, no Instagram. “Falo sério, o vício é real e leva embora os mais fracos. Ninguém é invencível”. Ele completou dizendo: “Vejo você do outro lado, Wayne”.

Dez bandas que carregam a morte no nome.

“Estou chocado em saber sobre a morte de Wayne Wells (Wayne Static). Toquei com ele na primeira banda dele, Deep Blue Dream, em 1987/88”, tuitou o frontman do Smashing Pumpkins, Billy Corgan. “Ele era um cara muito gentil e amava música (e Kiss, Ace [Frehley, guitarrista] em particular). Ele até pintou o capô do carro com o logotipo do Kiss.”