Morre Paco de Lucía, lendário violonista de flamenco, aos 66 anos

Músico espanhol tocava violão na praia com os filhos e netos quando se sentiu mal

Redação Publicado em 26/02/2014, às 11h00 - Atualizado às 13h03

Paco de Lucía
Laurent Gillieron/AP

O espanhol Paco de Lucía tocava violão, atividade que lhe colocou entre os melhores do mundo, com os filhos e netos em uma praia de Cancún, no México, quando começou a se sentir mal. A morte do músico, aos 66 anos, se deu pouco depois, por enfarte, de acordo com a declaração de Jose Ignacio Landaluce, prefeito da cidade espanhola Algeciras, onde Paco nasceu.

Paco era nome artístico de Francisco Sánchez Gómez, quinto e último filho de um casal formado por um violonista de flamenco espanhol e uma portuguesa. Aos 5 anos, era obrigado pelo pai a tocar violão por até 12 horas seguidas. A primeira aparição na rádio foi aos 11 anos.

A década de 1970 foi importantíssima para a carreira do músico espanhol e para a disseminação do flamenco pelo mundo, com uma série de discos seminais lançados por Paco no período.

Na década seguinte, o músico passou a experimentar outros gêneros, como jazz e a bossa nova, mas nunca perdeu a sonoridade flamenca, algo que ele chamava, segundo o jornal The Guardian, de duende que o possuía sempre que empunhava a guitarra. “Seja qual for o som que eu faça, sempre soará flamenco – porque é o que eu sou”, disse ele. “Tocar música flamenca é o que me dá forças”.

Nos últimos dias de vida, o músico dividia-se entre períodos morando no México e na Espanha. O prefeito de sua cidade natal, localizada na região da Andaluzia, no sul da Espanha, anunciou luto de três dias, com bandeiras a meio mastro, para homenagear o músico que lá nasceu em 1947.