Morre Sam Shepard, aclamado diretor, dramaturgo e ator norte-americano

Artista tinha 73 anos; em 1979, ele recebeu o prêmio Pulitzer de Teatro por Buried Child

Redação Publicado em 31/07/2017, às 12h48 - Atualizado às 13h05

Sam Shepard
AP

O diretor, dramaturgo e ator Sam Shepard morreu aos 73 anos. De acordo com informações da BroadwayWorld, o artista tinha esclerose lateral amiotrófica. A morte aconteceu no último domingo, 30, na casa dele, no estado norte-americano de Kentucky.

Ele foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo papel em Os Eleitos - Onde o Futuro Começa (1983), além de ter escrito 44 peças de teatro e diversos livros. Em 1979, Shepard recebeu o prêmio Pulitzer de Teatro pela peça Buried Child.

O artista passou a integrar a Academia de Artes e Letras Norte-Americana em 1986. Ele já era um nome reconhecido no teatro quando começou a aparecer em filmes e ganhou o primeiro papel de destaque em Cinzas no Paraíso (1978), de Terrence Malick. Ainda que nunca tenha deixado de lado o amor pelos palcos, Shepard construiu uma carreira cinematográfica consistente ao atuar em longas como Ressurreição (1980), Presente de Grego (1987) e Flores de Aço (1989).

Nos últimos anos, ele fez uma série de participações, incluindo papéis em O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford (2007), Neve Sobre os Cedros (1999) e Amor Bandido (2012). O último filme em que Shepard atuou, Never Here, foi dirigido e escrito por Camille Thoman e lançado no ano passado, no Festival de Cinema de Los Angeles. Ele também atuava na série Bloodline, da Netflix.

Os trabalhos como corroteirista incluem Zabriskie Point (1970), Paris, Texas (1984) e Louco de Amor (1985). Como diretor, ele colaborou em produções como A Casa de Kate é um Caso (1988) e O Espírito do Silêncio (1993).