Morre Tio Wilson, da banda Lagum, aos 34 anos

Breno Braga teve uma indisposição depois de show em drive-in na noite deste sábado, 12, e sofreu uma parada cardiorrespiratória

Redação Publicado em 13/09/2020, às 07h07

None
Breno Braga, o Tio Wilson da banda Lagum (Foto: Reprodução/Instagram/Trovoa Comunicação

Tio Wilson, integrante da banda Lagum, morreu na noite deste sábado, 12 de setembro, aos 34 anos.

De acordo com comunicado publicado pela Lagum, o músico Breno Braga, apelidado de Tio Wilson, teve uma indisposição depois de um show na noite de sábado. A causa da morte foi uma parada cardiorrespiratória. 

+++ LEIA MAIS: Lagum lança clipe para “Ninguém me Ensinou”, homenagem emocionante a Tio Wilson, morto aos 34

A Lagum teria dois shows neste sábado, 12, em Belo Horizonte, no formato drive-in, na arena Go Dream erguida no estacionamento das Faculdades Milton Campos, em Nova Lima, em Belo Horizonte. O primeiro dos dois shows, marcado para às 21h, teve os ingressos esgotados em 2 minuto. Por isso, a banda havia decidido abrir uma sessão extra, às 23h. 

Segundo jornal O Estado de Minas, o artista fez o primeiro show, mas sentiu indisposição antes da segunda apresentação. Foram deslocadas duas unidades do Samu para atender o músico, que não resistiu.

+++ LEIA MAIS: Como uma música de desamor levou o Lagum a se tornar a voz doce das dúvidas e anseios da juventude

Tio Wilson ou Breno Braga era baterista da Lagum e completou 34 anos em dezembro de 2019. O grupo é formado também por Pedro Calais (voz), Otavio Cardoso (guitarra), Jorge (guitarra) e Francisco Jardim (baixo).

Breno Braga era casado há seis anos com Ellen Cassim.

"Desde já, agradecemos o amor ao nosso irmão e as mensagens de solidariedade", escreveu a banda em um comunicado oficial publicado na conta oficial do Instagram. Veja o comunicado abaixo: 

+++ Especial pop brasileiro: Lagum entrevista IZA, IZA entrevista Lagum

 

Banda presta homenagens

Durante a tarde do domingo, 13, os integrantes do Lagum foram a público prestar homenagens ao Breno. No Instagram, Pedro Calais, vocalista e frontman, publicou um texto em memória do baterista. Entre declarações de amor e mensagens de saudades, Calais comentou sobre o relacionamento do colega com a banda, e a paixão dele pela música:

 

Depois da publicação de Calais, os outros integrantes do Lagum, um a um, também publicaram homenagens ao colega falecido. Chico agradeceu Breno pelos ensinamentos; Jorge citou "Um Dia a Gente se Encontra," música do Charlie Brown Jr, e Zani escreveu:

"OsZé! Você foi meu irmão! Aprendi muito sobre a vida e principalmente sobre prestar atenção no outro. Você vive aqui dentro pra sempre e vou cultivar tudo de bom que você deixou!"

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Então vamos viver, e um dia a gente se encontra

Uma publicação compartilhada por Jorge (@jorgelagum) em

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Obrigado pelos ensinamentos e pelos nossos groves meu amigo, vai com Deus grande homem, você me ensinou demais!

Uma publicação compartilhada por Francisco Jardim Filho (@chicolagum) em

 

A banda publicou um vídeo no final da tarde deste domingo, 13, em homenagem ao baterista. Nele, há diversas cenas de Tio Wilson com o Lagum. Na legenda, o grupo escreveu: "Eterno, sem mais". 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Eterno, sem mais.

Uma publicação compartilhada por Lagum (@lagumoficial) em

 

Colegas lamentam morte

Depois da notícia da morte de Breno, diversos músicos foram à público lamentar a tragédia. IZA, que trabalhou com Lagum em diversos shows e parcerias de gravação musical, incluindo a recente "Será", publicou uma foto ao lado do baterista. Na legenda, escreveu: "A vida realmente é um sopro. Que a gente nunca perca a oportunidade de fazer as pessoas maravilhosas em nossas vidas se sentirem amadas."

Victor Kley, outro nome do pop atual brasileiro, também lembrou o colega um publicação. Compartilhou duas fotos de bastidores ao lado de Breno:

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

vai com deus, irmão. eterno tio meus sentimentos e muita força para os irmãos da @lagumoficial , familiares e amigos...

Uma publicação compartilhada por Vitor Kley (@vitorkley) em

 

No Twitter, artistas de vertente diferentes também celebraram o músico e lamentaram a morte dele; Tico Santa Cruz prestou a solidariedade à Lagum, e mandou forças para os colegas e família de Breno.Lucas Silveira, da  Fresno, questionou: "Como assim? Coisa triste."

Hit 'Deixa' caiu nas graças de Neymar e banda decolou

O grupo, sucesso de público e crítica, começou em 2014, a partir da iniciativa do vocalista da banda Pedro Calais, que publicou as primeiras composições próprias no Facebook e foi chamado para fazer os primeiros shows.

Calais chamou, então, os amigos de infância, Otavio Cardoso, Glauco Borges, Francisco Jardim e Breno Braga, mais conhecido como Tio Wilson. 

Em maio de 2016, a Lagum lançou o primeiro álbum de estúdio, Seja o Que Eu Quiser, e passaram a tocar no circuito de casas de show de Belo Horizonte. Uma das estratégias do grupo que deu certo foi distribuir os CDs de Seja o Que Eu Quiser de forma gratuita nos shows.

+++ Lagum, Los Hermanos, Anavitória e mais: como os artistas ajudam produtores, técnicos de som e equipe

Uma versão da música "Deixa", gravada de forma acústica em parceria com a cantora Ana Gabriela, levou a banda para outro nível de popularidade - e, inclusive, foi compartilhada pelo jogador de futebol Neymar. A música foi lançada em fevereiro de 2018 e a banda passou a ser considerada uma das melhores apostas da nova geração da música pop brasileira. 

Em junho de 2019, a Lagum lançou o segundo álbum de estúdio, Coisas da Geração. O álbum trata de questionamentos sobre o início da vida adulta e a maturidade adquira após o sucesso tremendo de "Deixa", com a vida na estrada. 


Já um ano depois, em junho de 2020, a banda soltou o single "Será", em um feat. com a cantora pop IZA. O vídeo, que tem uma estética de faroeste, tem 3 milhões de visualizações. 


+++ BK' lança novo disco e fala sobre conexão com o movimento Vidas Negras Importam: 'A gente sabia que ia explodir'