MP3 "de graça" no futebol americano

Promoção durante a temporada 2008 do Superbowl promete dar um bilhão de músicas

Da redação Publicado em 04/12/2007, às 15h45 - Atualizado às 17h12

A temporada 2008 do campeonato de futebol americano Superbowl pode marcar o início de uma grande distribuição de graça de arquivos MP3, patrocinada pela loja virtual Amazon e uma marca de refrigerantes. De acordo com a Billboard, um bilhão de músicas sem DRM (proteção que impede cópia) serão dadas a partir de fevereiro.

Como diria o ditado, "se a esmola é grande, até santo desconfia". A promoção não dá de verdade um bilhão de músicas. Só terá direito ao download aquele que juntar códigos impressos em cinco produtos da marca de refrigerantes. Estes geram um cupom, que dá ao consumidor o direito de baixar uma música.

Em 2004, a mesma marca de refrigerantes decidiu fazer uma promoção semelhante, e "dar" 100 milhões de músicas pela loja virtual iTunes. Apenas cinco milhões de pessoas usaram o serviço. Vale lembrar que na ocasião o MP3 distribuído pela Apple ainda era protegido por DRM, ou seja, não podia ser passado do iPod para outros players. Neste mesmo ano, uma média de 2,7 milhões de músicas era vendida online por semana.

A Billboard aponta um fator crucial que está sendo discutido. A Amazon quer repassar para as gravadoras apenas 40 centavos de dólar por MP3 dado na promoção, contra os 70 centavos de dólar que paga quando um arquivo é vendido na loja virtual.

Hoje, a Amazon tem 3% do mercado de venda de MP3, mesmo sem investir pesado no serviço. A loja virtual abriu espaço para as músicas digitais em setembro deste ano. Estima-se que o catálogo da mega-store online já chegue a dois milhões de faixas.

Historicamente, o Superbowl reserva os horários mais caros para publicidade na televisão estadunidense. Some-se a isso o consumo excessivo de refrigerantes e o fenômeno da venda de MP3 (em 2007, são mais de 14 milhões de arquivos vendidos por semana, num total de 735 milhões durante todo o ano) para entender a grandeza da promoção. A indústria fonográfica prevê um aumento de 5 milhões de músicas vendidas por semana na internet, em 2008.