Mulher é presa no Egito acusada de ‘libertinagem’ no Tiktok; entenda

Manar Samy foi condenada a três anos de cadeia e multa de R$ 96,3 mil

Redação Publicado em 30/07/2020, às 12h39

None
Manar Samy (Foto: Instagram / Reprodução)

Na última quarta, 29, a Agência EFE anunciou que a jovem Manar Samy foi condenada pelo Tribunal de Crimes Menores de Tanta, no sul do Egito, a três anos de cadeia e multa de US$ 18,75 mil (R$ 96,3 mil) por "incitar a libertinagem" no TikTok. A notícia foi dada pelo portal Uol.

+++LEIA MAIS: O Lado Sombrio do TikTok: censura, boicote aos 'feios' e invasão de privacidade

Samy foi denunciada pela Promotoria Geral do Egito e presa em 1º de julho, com o argumento de que ela queria "chamar atenção e ganhar dinheiro" com vídeos no TikTok.

O juiz do caso também determinou uma fiança de US$ 1,25 mil (R$ 6,4 mil), que, segundo o advogado da 'influencer', será paga.

+++LEIA MAIS: Anthony Hopkins entra no TikTok e participa de desafio com música do Drake; assista

Samy é a terceira "garota do TikTok" a ser condenada somente nesta semana. Entre denúncias anteriores (via EFE), configuram-se os crimes de incitação à libertinagem, cometimento de atos imorais e ofensa aos valores familiares do país.

 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS