As músicas que transformaram artistas em grandes estrelas

Redação Publicado em 10/07/2012, às 20h24 - Atualizado em 14/02/2013, às 16h25

Para muitos – se não a maioria – músicos, a estrada para o sucesso é marcada por colisões, ziguezagues e muitos sinais amarelos. Aqui estão as histórias de alguns artistas famosos e as músicas que os levaram ao estrelato.
Divulgação

Katy Perry - "I Kissed a Girl"

O primeiro single da cantora cristã Katy Hudson, lançado em 2001, se chamava “Trust in Me”. Embora não tenha tenha chegado a lugar nenhum com ele, a autora confiou na mensagem da música. Sete anos mais tarde, depois de pular de gravadora em gravadora, a determinada jovem conseguiu um contrato com a Capitol Records, depois de se reinventar como Katy Perry, uma imprudente artista pop multicolorida. A audaciosa “I Kissed a Girl” chegou ao número um em praticamente todos os países ocidentais, lançando uma carreira fenomenal que inclui mais seis músicas no topo das paradas.


U2 - "New Year's Day"

Depois de passar por nomes diferentes como Feedback e The Hype, uma banda da era punk de Dublin finalmente se decidiu pelo nome U2 e começou a lançar discos na Irlanda. Embora "I Will Follow", uma música inspirada do primeiro disco do grupo, de 1981, tenha conseguido levá-los até as rádios norte-americanas, o segundo disco, October, falhou em manter a curva ascendente. Mas após Bono e seus companheiros passarem por uma crise espiritual, eles realmente estouraram mundialmente com o trabalho antiviolência War, em 1983, e com o single "New Year's Day".


Charlie Brown Jr. - “O Coro Vai Comê”

A banda santista começou em 1992, mas foi só em 1997 que saiu o primeiro trabalho. Em junho daquele ano chegou às rádios o primeiro single e primeiro sucesso do grupo liderado por Chorão, “O Coro Vai Comê”, cuja letra fala exatamente sobre o Charlie Brown "invadindo a cidade". Eles fizeram mais do que isso, invadiram as ondas sonoras do país todo: Transpiração Contínua Prolongada teve ainda dois outros singles de muito sucesso – "Proibida pra Mim (Grazon)" e "Tudo que Ela Gosta De Escutar" – e foi disco de platina.


Notorious B.I.G. - "Juicy"

Apelidado de Biggie Smalls por causa de seu tamanho avantajado, o rapper de Nova York Christopher Wallace começou sua carreira fonográfica com uma fita demo bem recebida e uma série de participações especiais em singles de Mary J. Blige, Neneh Cherry e outros. Reinventado como Notorious B.I.G., Wallace garantiu o enorme sucesso de seu álbum de estreia, Ready to Die, com o conto mitológico por trás de seu clássico single "Juicy".


Sheryl Crow - "All I Wanna Do"

Sheryl Crow era professora primária de música, cantora de jingles e backing vocal de Michael Jackson antes de se arriscar na carreira solo. O lançamento que planejou para 1992 foi rejeitado por sua gravadora; um ano depois ela se levantou e lançou Tuesday Night Music Club. O disco parecia destinado a fazer pouco sucesso até que a canção "All I Wanna Do" começou a chamar a atenção de forma atrasada, no ano seguinte. Em 1995 a cantora já tinha um álbum com muitas platinas, mais vários singles que eram hits e os prêmios Grammy de disco do ano e melhor artista revelação.


Pitty - “Máscara”

Pitty integrou bandas do cenário alternativo de Salvador e se aventurou até como baterista antes de descobrir que era como vocalista que tinha maior potencial. Carismática, a cantora foi ouvida pelo Brasil todo com a música “Máscara”, primeiro hit de seu álbum de estreia, Admirável Chip Novo, de 2003, que acabou fazendo até parte de trilha de novela global. Difícil encontrar alguém que ainda hoje não lembre com nitidez do refrão “seja você, mesmo que seja estranho”.


Whitney Houston - "You Give Good Love"

Ela nasceu em uma família extremamente talentosa: Dionne Warwick era prima dela, Aretha Franklin era como uma tia e a mãe era a cantora gospel Cissy Houston. Whitney Houston foi desenhada para o estrelato, mas antes ela fez a lição de casa, fazendo backing vocal para Chaka Khan e Lou Rawls e gravando um dueto com Teddy Pendergrass. Sob proteção do produtor Clive Davis, Whitney lançou o disco de estreia em 1985. O primeiro single no Reino Unido, "Someone for Me", não entrou para a parada, mas a balada "You Give Good Love" deu início a uma carreira estrondosa nos Estados Unidos.


David Bowie - "Space Oddity"

O cantor britânico Davey Jones, um grande fã do ator e músico Anthony Newley, teve pouca sorte com seus vários primeiros singles lançados na era Swinging London, conseguindo um pequeno sucesso com a curiosa faixa "The Laughing Gnome". Depois de se reinventar com o nome David Bowie (em parte para se diferenciar de Davy Jones, estrela do Monkees), Bowie conseguiu o hit internacional "Space Oddity", que estabeleceu a persona que ele iria carregar durante os anos glam.


Jota Quest - “As Dores do Mundo”

J. Quest, de 1996, foi o primeiro disco do grupo mineiro lançado por uma grande gravadora. O sucesso e a importância dele para a banda é tão grande que Rogério Flausino e cia. realizaram em 2011 uma turnê comemorativa dos 15 anos do álbum. Hoje, o trabalho é muito associado ao single "Encontrar Alguém", mas o Jota Quest (antes J. Quest) foi apresentado ao país com uma faixa lançada antes, "As Dores do Mundo", uma versão "Jamiroquai" para a canção do cantor e compositor de soul Hyldon.


Alanis Morissette - "You Oughta Know"

Alanis Morissette era conhecida no Canadá como uma ex-artista mirim, tendo estrelado o show infantil You Can't Do That on Television antes de lançar, quando adolescente, dois discos de dance-pop. Ainda que os discos tenham vendido bem em sua terra natal, ela era pouco conhecida nos Estados Unidos quando lançou Jagged Little Pill, um álbum muito diferente do que ela havia feito antes, produzido pelo compositor Glen Ballard em 1995. "You Oughta Know", uma amarga explosão direcionada a um ex-namorado, eclipsou a carreira pop passada dela e ajudou a impulsionar as vendas do disco – 30 milhões no mundo todo.


Eminem - "My Name Is"

Em 1996, um ambicioso rapper de Detroit lançou seu disco de estreia, Infinite. Embora tenha recebido duras críticas e só tenha vendido mil cópias do álbum, Marshall Mathers – Eminem – começou a atrair a atenção de grandes gravadoras depois de ir bem em batalhas de MCs. The Slim Shady, primeiro disco dele por uma major, tinha o cômico single "My Name Is", cujo vídeo foi destaque no então importante Total Request Live. O tempo passou, e ele acabou se tornando o artista mais bem-sucedido em vendas dos anos 2000.


Em cerca de 12 meses, Maria Gadú, aos 22 anos, trocou os bares do Rio de Janeiro pelos mais nobres palcos do Brasil e do exterior, ganhando prêmios e disco de platina com seu trabalho de estreia, Maria Gadú, de 2009. Ganhou também o reconhecimento de gente como Milton Nascimento e Caetano Veloso – este último tendo inclusive dividido o palco com ela em uma turnê que rendeu DVD e CD ao vivo. Muito deste sucesso deve-se à canção “Shimbalaiê”, escrita, segundo ela afirma, aos 10 anos de idade, e que figurou nas paradas nacionais e de países da Europa.
James Taylor - “Fire and Rain”

O jovem compositor de folk era suficientemente elogiado para se tornar o primeiro artista de fora do Reino Unido a assinar com o novo selo dos Beatles – a Apple, em 1967. Até ali ele já havia conseguido relativo destaque na cena de Greenwich Village junto a uma banda chamada Flying Machine. Mas apesar de uma exaltada resenha do jornalista Jon Landau na Rolling Stone, seu álbum de estreia vendeu pouco e o single “Carolina in My Mind” não conseguiu entrar no top 100 dos Estados Unidos. Em 1970, no entanto, recuperado das drogas e de um acidente de moto, Taylor conseguiu alcançar um adequado terceiro lugar com o single “Fire and Rain”, um melancólico tributo a um amigo que cometeu suicídio.


Def Leppard - “Photograph”

Formada durante os últimos anos da era punk, o Def Leppard já era conhecido pelos fãs britânicos de hard rock desde o lançamento de seu álbum de estreia, On Through the Night, de 1980. Os mais fieis se sentiram ofendidos quando o grupo mirou o público norte-americano e não conseguiu emplacar o segundo álbum, High 'n' Dry, a não ser pelo clipe de “Bringin' On the Heartbreak”, que fez algum sucesso na MTV. Foi apenas no terceiro trabalho, Pyromania, de 1983, que se tornaram estrelas com o vídeo de “Photograph”, que derrubou “Beat It”, de Michael Jackson, como a mais pedida na MTV.


Mallu Magalhães - “Tchubaruba”

Mallu Magalhães nasceu na época certa e soube aproveitar a internet para divulgar suas canções. Em 2008, com apenas 15 anos, participou de programas de televisão e fez shows pelo Brasil antes de sequer gravar seu álbum de estreia. Mas todo mundo já conhecia as músicas que ela havia postado no MySpace, com voz delicada e letras em inglês. “Tchubaruba” foi sem dúvida a principal delas.