Netflix de salvadora para canceladora de séries?

Apesar do sucesso de Orange Is the New Black e BoJack Horseman, apenas cerca de uma dúzia de produções originais são renovadas para quatro ou mais temporadas

Malu Rodrigues Publicado em 01/07/2020, às 07h00

None
Anne With An E, The O.A. e Everything Sucks (Fotos: Divulgação/Netflix)

Criada em 1997 como uma empresa de entrega de DVDs, a Netflix optou pela tecnologia, migrou para o serviço de streaming, e mais tarde, tornou-se uma das maiores empresas de entretenimento do mundo. Essa posição no mercado foi resultado, em grande parte, do investimento em produzir títulos originais.

House of Cards foi a grande estreia original da Netflix. A série de 2013 colocou a plataforma como concorrente direto dos canais da televisão norte-americana. A história da produção de jogo político foi contada por seis temporadas.

+++ LEIA MAIS: Como a série Dead To Me, da Netflix, está revolucionando a narrativa feminina

No mesmo ano, a plataforma lançou Orange Is the New Black, que durou sete temporadas. Os dois títulos foram o primeiro passo do streaming para se consolidar em um território de produções totalmente originais. Com o sucesso delas, a plataforma seguiu promovendo e divulgando centenas de outros títulos. 

House of cards - Divulgação/Netflix - Orange Is The New Black - Divulgação/Netflix

 

Em 2013, a Netflix aplicou um valor de US$ 2,5 bilhões em conteúdo original. Em 2018, foram US$ 12 bilhões investidos, segunda reportagem da THR  de agosto de 2019, e 240 títulos lançados.

+++ LEIA MAIS: Netflix abre as portas para protagonistas asiáticas e reinventa os romances adolescentes [ANÁLISE]

Em 2019, a Netflix lançou 371 produções originais, incluindo filmes e séries. O investimento foi de US$ 15,3 bilhões. Neste ano de 2020, a Netflix pretende gastar US$ 17,3 bilhões em séries e filmes originais, segundo previsões da empresa BMO Capital Markets - famosa no mercado de Wall Street.

Todos esses números resultam, obviamente, da promoção e desejo da empresa em colocar cada vez mais títulos originais no catálogo. Nesse objetivo, a plataforma até firmou contrato de exclusividade com grandes nomes da indústria, como os criadores de Game of Thrones, David Benioff e D.B. Weiss, além de Shonda Rhimes e Ryan Murphy.

+++ LEIA MAIS: BoJack Horseman, Big Mouth e mais: 6 séries de animação adulta na Netflix [LISTA]

Com o lançamento maciço de conteúdo original, o público começa a notar também os cancelamentos feitos pelo streaming. Apesar de House of Cards e Orange Is the New Blackterem tido uma quantidade significativa de temporadas, é normal os assinantes perceberem que muitas séries foram interrompidas no meio do caminho.

Em outubro de 2019, a Business Insider realizou uma pesquisa sobre quantas temporadas foram disponibilizadas para uma série original da Netflix antes dela ser cancelada. No estudo foram excluídas minisséries (como Alias Grace), produções em que a Netflix concede os direitos de primeira execução (como Better Call Saul) e séries que foram adicionadas no catálogo no meio da execução (como Lucifer).

+++ LEIA MAIS: 4 séries com dramas surpreendentes para assistir na Netflix

Com uma amostra de 44 produções avaliadas, apenas 11 séries se estenderam para quatro ou mais temporadas. 8 terminaram na primeira, 13 terminaram na segunda e 12 chegarem até a terceira. 

Ruobing Su/Business Insider

 

A pesquisa aponta como séries como Grace and Frankie (5 temporadas), Orange Is the New Black(7 temporadas), BoJack Horseman (6 temporadas), House of Cards (6 temporadas) e Fuller House (5 temporadas) são exemplos que tiveram bastante tempo de transmissão.

+++ LEIA MAIS: Ama Bojack Horseman? Conheça mais 3 comédias adultas para assistir na Netflix

Grace and Frankie - Divulgação/Netflix - Bojack Horseman - Divulgação/Netflix

 

Em resumo, apenas cerca de uma dúzia de produções originais são renovadas para quatro ou mais temporadas. Entre as séries canceladas, alguns encerramentos da Netflix trouxeram bastante polêmica. Anne With An E, por exemplo, foi oficialmente finalizada em janeiro deste ano, logo após o lançamento da terceira - e última - temporada, e causou uma revolta no público.

Em campanha pela renovação da série, uma petição foi criada por fãs e ultrapassou 400 mil assinaturas em maio. Essa é uma marca histórica para abaixo-assinados com pedidos de renovação de um programa televisivo.

+++LEIA MAIS: Anne with an E: 4 séries para matar saudade da produção cancelada pela Netflix

Em posicionamento oficial, a Netflix e a CBC comentaram sobre o encerramento da produção: "Ficamos muito felizes em levar a história de 'Anne with an E', essencialmente canadense, para os telespectadores ao redor do mundo. Agradecemos aos produtores Moira Walley-Beckett e Miranda de Pencier e ao talentoso elenco e equipe por seu incrível trabalho em compartilhar a história incrível da Anne com uma nova geração. Esperamos que os fãs da série amem a temporada final tanto quanto nós, e que isso traga uma conclusão satisfatória para a jornada de Anne".

Anne with an E - Divulgação/Netflix - Sense8 - Divulgação/Netflix - Tuca and Bertie - Divulgação/Netflix

 

Outra polêmica foi o final de Sense8, que também mobilizou o público a protestar e criar campanhas. Em entrevista ao Radio Times em 2018, Cindy Holland, vice-presidente de conteúdo original da Netflix, disse: "Estamos muito satisfeitos em fornecer um final para o Sense8. Para nós, ainda tomo essas decisões [para cancelar] muito a sério quando as tomamos [...] Em algum momento, se a visualização não aparecer para justificar as despesas da série, você desejará encerrá-la".

+++LEIA MAIS: Qual é a série mais popular no Brasil em 2020? Veja top 10 - e assista todas na Netflix

Dentro das animações, a finalização de Tuca & Bertie pegou a crítica e os assinantes de surpresa. A produção garantiu uma aprovação de 98% no Rotten Tomatoes, mas foi cancelada poucos meses depois de entrar no catálogo.

“Lisa Hanawalt criou um mundo extravagante, mas com o qual podemos nos relacionar em Tuca & Bertie. Agradecemos à Lisa e a seus colegas produtores executivos, Raphael Bob-Waksberg, Noel Bright, Steven A. Cohen e aos também protagonistas Tiffany Haddish e Ali Wong, junto com todos os escritores e animadores por compartilhar a engraçada e dinâmica jornada dos pássaros Tuca e Bertie com o mundo. Embora Tuca & Bertie não tenham uma segunda temporada, estamos orgulhosos em disponibilizar essa história na Netflix nos próximos anos que estão por vir", anunciou a Netflix em posicionamento oficial.

+++ LEIA MAIS: Você deveria assistir Tuca & Bertie: a 'prima de Bojack Horseman' esnobada pela Netflix trata de amor moderno, amizade entre mulheres, abuso e sobriedade

O que motiva o cancelamento de séries?

Os cancelamentos anunciados pela Netflix parecem vir em contramão com o ideal de "salvadora" que antes era estabelecido para a plataforma. The Last Kingdom, Lovesick, Lucifer, You e Designated Survivor são algumas das produções que foram salvas ou adquiridas pela plataforma que, sem dúvida, ganharam mais audiência e destaque. 

Ainda, o streaming também 'reativou' títulos como Full House, Arrested Development e Gilmore Girls. Com essa ambiguidade, o público se pergunta sobre qual é o motivo da Netflix para cancelar tantas séries originais. 

+++LEIA MAIS: Amou Simplesmente Acontece? Conheça Lovesick, série da Netflix sobre paixão entre melhores amigos perfeita para maratonar

A decisão da empresa em continuar ou finalizar uma série vem de uma métrica específica, ainda desconhecida pelo público. Como o Deadline aponta, essa matemática avalia o peso dos custos de produção e a audiência necessária para a série ganhar novas temporadas.

"É uma combinação de coisas. Quando investimos, decidimos quanto investir com base no público que aparecerá", revelou Cindy Holland em conferência da INTV em 2019 (via Deadline). "Se o público não aparecer, pensamos no motivo de continuar investindo em algo que não funciona tão bem quanto esperávamos. Obviamente, a aclamação da crítica também é importante, mas estamos realmente tentando esticar nossos dólares de investimento o máximo que pudermos e compensar o dinheiro de nossos investidores - é deles, não nosso."

+++LEIA MAIS: Revolução teen na Netflix: séries adolescentes invadem o serviço de streaming

Ainda, a medida que a série ganha novas temporadas, mais cara ela fica - os cenários, atores, equipe de produção. Em conversa com o Radio Times, Holland revelou: "Como pensamos em dimensionar os projetos e se podemos arcar com o orçamento proposto, temos uma série de modelos de projeção que podemos inserir em atributos sobre a série: quem pode estar nela, as pessoas envolvidas, o gênero. E podemos prever um público com tamanho mínimo de limite. Isso nos ajuda a voltar para que tipo de orçamento de tamanho podemos suportar".

Além disso, as receitas da empresa, como percebemos, não são garantidas por meio de propagandas e anúncios, como na televisão. Na verdade, o modelo de negócios da plataforma é baseado no pagamento da assinatura dos, claro, assinantes.

+++ LEIA MAIS: 6 séries de comédia dramática subestimadas da Netflix para você maratonar [LISTA]

O cálculo de como isso é feito ainda é um mistério para o público. Não há necessidade de vender espaço para marcas, como na televisão - o que inclusive podemos considerar esse um dos motivos para os números da empresa ficarem mais privados.

Se pensarmos que a Netflix não se beneficia diretamente de publicidade, fica mais evidente como ela garante mais assinaturas com a produção de novos títulos. Quanto mais conteúdo ela lança, mais atenção de um novo público ela consegue. Por isso a análise minuciosa na hora de renovar ou cancelar uma produção no catálogo.

++LEIA MAIS: Amou Elite? Conheça Outer Banks, a nova série teen de suspense da Netflix

Nas redes sociais, a Netflix já comentou sobre como a decisão é bem trabalhada. Em 2019, ela comentou no twitter: "Cancelar shows é sempre doloroso - mas também é sempre uma decisão muito cuidadosa, caso a caso".

No entanto, é interessante notar como o efeito de ter séries mais curtas é uma tendência do streaming - e como a impressão de que a Netflix cancela muito mais do que outras plataformas é até uma aparência ilusória. Isso porque a Netflixinveste mais na produção de conteúdo original do que outros grandes conglomerados de mídia. Por isso, o cancelamento é um reflexo direto da quantidade de conteúdos novos que entram no catálogo.

Com a permanência dessa lógica e esquema, continuamos com as cancelações enquanto mais títulos originais entram. Inclusive, nesta terça, 30, a Netflix anunciou que Ozark ganhará a quarta e última temporada. 

Também nesta terça, ela revelou o trailer da nova série Cursed – A Lenda Do Lago, que estreia em 17 de julho.


Séries finalizadas

Separamos uma lista com algumas das séries encerradas da Netflix. Confira:

1ª Temporada

Tuca & Bertie (2019)

Daybreak (2019)

AJ And The Queen (2020)

Spin Out (2020)

Soundtrack (2020)

The Get Down (2016)

Everything Sucks (2018)

The Good Cop (2018)

All About the Washingtons (2018)

The Break with Michelle Wolf (2018)

No Good Nick (2019)

Nightflyers (2018)

Gypsy (2017)

Chambers (2019)

Turn Up Charlie (2019)

Seven Seconds (2018)

Disjointed (2017)

Girlboss (2017)

Marianne (2019)

Osmosis (2019)

Messiah (2020)

Ninguém Tá Olhando (2019)

Apocalipse V (2019)

October Faction (2020)

2ª Temporada

Marco Polo (2014 - 2016)

Punho de Ferro (2017 - 2018)

Luke Cage (2016 - 2018)

Ela Quer Tudo (2017 - 2019)

O Justiceiro (2017 - 2019)

Sense8 (2015 - 2018)

The OA (2016 - 2019)

Friends From College (2017 - 2019)

Vândalo Americano (2017 - 2018)

Samantha! (2018 - 2019)

Insatiable (2018 - 2019)

3ª Temporada

Demolidor (2015 – 2018)

Jessica Jones (2015 – 2019)

Santa Clarita Diet (2017 - 2019)

One Day at a Time (2017–2019)

Travelers (2016–2018)

Anne With An E (2017–2020)

4ª Temporada

The Good Place (2016 - 2020)

5ª Temporada

Fuller House (2016 - 2020)

6ª Temporada

BoJack Horseman (2014 - 2020)

House of Cards (2013 - 2018)

7ª Temporada

Orange Is the New Black(2013 - 2019)


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO