Neverland ganhará réplica na China

Versão reduzida do rancho de Michael Jackson será construída em ilha do país; projeto é homenagem das construtoras nacionais ao cantor, diz jornal estatal

Da redação Publicado em 10/07/2009, às 22h16

Uma réplica do rancho Neverland, mas a centenas de quilômetros da Califórnia - mais precisamente, em Chongming, ilha próxima a Xangai. Essa é a homenagem de construtoras chinesas a Michael Jackson, morto em 25 de junho, aos 50 anos, após sofrer parada cardíaca. A notícia foi anunciada nesta sexta, 10, pelo jornal estatal Diário da China (e foi reproduzida pela agência Reuters).

A Neverland "made in China" terá proporções menores do que as da construção original. A propriedade californiana mede em torno de 2,7 mil acres (dentro, cabem mais de mil campos de futebol) e virou lar do cantor em 1988 - 20 anos depois, Jackson transferiu parte da propriedade à empresa Sycamore Valley Ranch Company, para quitar dívidas. O rancho, batizado em tributo a Peter Pan e sua Terra do Nunca, possuía zoológico próprio, estação de trem particular e vários brinquedos de parques temáticos. Em 2005, após se livrar de acusações de abuso sexual a menores, Jackson abandonou a morada. Biografias dão conta que o cantor conheceu o local durante as filmagens do clipe "Say Say Say", parceria sua com o ex-Beatle Paul McCartney, em 1983.

"Ao construir uma Neverland aqui na China, queremos render homenagem [a Michael Jackson] e, ao mesmo tempo, oferecer à população chinesa um meio de expressar seu amor por ele", disse um dos investidores, Oiu Xuefan, segundo a mídia estatal. Calcula-se que o projeto custará cerca de 100 milhões de iuanes (R$ 29,5 mi). A expectativa é que a residência seja inaugurada antes da Exposição Mundial de Xangai, prevista para acontecer entre maio e outubro do ano que vem.

A versão chinesa terá "características [nacionais] para ajudá-la a se misturar com o ambiente local". O jornal não especificou quais seriam as adaptações, nem o propósito da construção - se estaria aberta ao público em caráter gratuito, por exemplo. Wei Wei, que comanda o fã-clube chinês de Micheal Jackson, não é entusiasta da ideia. "Se a intenção é simplesmente homenagear Michael, eu aconselharia os investidores a abrir [a Neverland local] de graça, assim como Michael fez para as crianças. Se não, eles apenas estariam faturando dinheiro."