Pulse

Nick Cave conta sentir a presença do filho que morreu quando encontra joaninhas

Arthur Cave morreu aos 15 anos depois de cair de um penhasco em 2015

Redação Publicado em 14/08/2019, às 16h34

None
Nick Cave (Foto: Agencia El Universal/Nadya Murillo/AFBV/AP)

Nick Cave se abriu para falar sobre a morte do seu filho, Arthur Cave, em seu website The Red Hand Files, criado para responder os fãs. 

Arthur morreu aos 15 anos depois de cair de um penhasco em Ovingdean, East Sussex, em 2015. O líder do The Bad Seeds já havia falado sobre o acidente no documentário One More Time With Feeling, de 2016, mas usou o site de Q&A para falar que ainda sente a presença do filho. 

Ao responder uma fã que declarou sentir constantemente a presença do seu falecido marido, Nick Cave contou sobre a proximidade do seu filho com insetos, principalmente joaninhas, e que viu uma quando visitou o local da morte de Arthur pela primeira vez. 

+++ LEIA MAIS: Nick Cave dá resposta linda sobre como imagina ser a voz de Deus

"Dois dias depois que nosso filho morreu, Susie e eu fomos para o penhasco onde ele caiu", escreveu. "Quando Arthur era criança, ele fala de joaninhas e besouros. Ele amava, desenhava e se identificava com eles. Ficava conversando"

"Quando sentamos lá, uma joaninha pousou na mão de Susie. Nós dois vimos, mas não dissemos nada, porque, embora reconhecêssemos significado disso, não estávamos dispostos ignorar a tragédia com um pensamento mágico. Mas nós éramos novos com essa coisa de sofrer."

+++ LEIA MAIS: Nick Cave critica ideais de Morrissey, mas é preciso "permitir que a música dele continue"

Cave continuou explicando como esses insetos estiveram presentes em várias outras ocasiões importantes, e que ele sentia que isso seria a presença do filho.

"Quando voltamos para casa, eu abri a porta e outra joaninha pousou na minha mão", disse. 

+++ LEIA MAIS: Nick Cave repreende fã homofóbico: “Você está sendo um idiota”

"Desde então, eu e Susie vemos joaninhas em todos os lugares. Quando Warren e eu estávamos trabalhando no último álbum, várias de joaninhas entraram no estúdio."

+++LEIA MAIS: Viúva de Chris Cornell, Vicky mostra e-mail tocante enviado pelo músico: "Nada que nos separe vale a pena"

"Não sei o que fazer com esse fenômeno, mas cada vez que vejo uma joaninha sinto algo que vai além da minha compreensão, mesmo que seja, com toda a probabilidade, apenas época de joaninhas."

+++LISTA: 13 segredos de 'Ladrão', o terceiro disco do Djonga e um dos melhores de 2019