NME pede desculpa a Morrissey em caso de difamação

“Queremos esclarecer que não acreditamos que ele seja racista”

Rolling Stone EUA Publicado em 12/06/2012, às 16h26 - Atualizado às 16h48

Apesar do calor e das falhas dos problemas de som, Morrissey fez show emblemático na última data de sua passagem pelo Brasil, em São Paulo
Stephen Solon/Divulgação

Em um comunicado divulgado nesta terça, 12, o semanário NME pediu desculpa a Morrissey por um artigo publicado em 2007 que, segundo o cantor, o retratou injustamente como racista.

“Queremos esclarecer que não acreditamos que ele seja racista”, diz o comunicado. “Não achamos, na época, que estávamos dizendo que ele era e pedimos desculpa a Morrissey se ele ou qualquer outra pessoa entendeu nossa matéria dessa forma errada. Nossa intenção nunca foi chatear Morrissey e esperamos que assim ambos poderão voltar àquilo que fazemos melhor."

O comunicado foi divulgado enquanto se aproxima a data do julgamento (que acontece em julho) do processo por difamação movido por Morrissey contra a revista por causa da matéria, intitulada Morrissey: Big Mouth Strikes Again. Na entrevista, originalmente publicada em 27 de novembro de 2007, Moz explicou ao autor Tim Jonze as razões pelas quais ele não mora mais na Inglaterra, dizendo, teoricamente: "Apesar de eu não ter nada contra pessoas de outros países, quanto maior o influxo para a Inglaterra, mais a identidade britânica desaparece. Então, o preço é enorme”.

Ele acrescentou naquela entrevista: "Se você vai para a Alemanha, ela ainda tem cara de Alemanha. Se você vai para a Suécia, ainda há uma identidade sueca. Mas vá para a Inglaterra e não terá a menor ideia de onde está”.

Morrissey acusou a NME de interpretar errado as falar dele para que ele soasse xenófobo e contrário à imigração. Jonze pediu até que a revista removesse seu nome da matéria, de tanto que os editores reescreveram o texto.

No último mês de outubro, o juiz mais graduado de casos de difamação no Reino Unido declarou que Morrissey tinha um caso para processar a NME, especialmente a publisher da revista, a IPC Media, e o ex-editor Conor McNicholas. O julgamento de Morrissey por difamação será o primeiro no Reino Unido em dois anos, já que casos assim costumam ser complexos, caros e longos.