A noite do maestro - Burt Bacharach faz show com impressionantes sequências de hits

O artista se apresentou na noite do último sábado, 20, em São Paulo

Paulo Cavalcanti Publicado em 21/04/2013, às 15h56 - Atualizado às 16h49

Burt Bacharach no palco do HSBC Brasil, em São Paulo

Ver Galeria
(5 imagens)

O veterano pianista, compositor e maestro de 84 anos teve casa cheia no último, 20, no HSBC Brasil, em São Paulo. Por volta do horário marcado, 22h, Bacharach, seus cantores e músicos apareceram ao som de “What the World Needs Now Is Love”. Bacharach, então, foi para a frente do palco. Falou que era uma honra estar novamente no país e louvou músicos brasileiros como Ivan Lins e Djavan.

Em seguida, anunciou um medley com alguns de seus principais hits da década de 60. Na ordem, foram executadas “Don't Make Me Over”, “Walk on by”, “This Guy's in Love with You”, “I Say a Little Prayer”, “Trains, Boats & Planes”, “Wishin' & Hopin'” e “(There's) Always Something There to Remind Me”. Na sequência, emendou outro medley de sucessos da época, agora com “One Less Bell to Answer”, “I'll Never Fall in Love Again”, “Only Love Can Break a Heart” e “Do You Know the Way to San Jose”.

Em certo momento, os cantores de Bacharach foram para o centro do palco e fizeram solos individuais. Josie James ficou com “Anyone Who Had a Heart” (antigo hit de Dionne Warwick e Cilla Black); John Pagano veio com “I Just Don’t Know What to Do With Myself” (original de Dusty Springfield, mais tarde revivida pela dupla White Stripes) e “God Give Me Strength” (de Painted From Memory, álbum que Bacharach gravou em 1998 com Elvis Costello); Donna Taylor interpretou “Waiting for Charlie (to Come Home)” (gravada por Etta James). Logo depois, uma surpresa: “My Little Red Book”, que Bacharach não executa habitualmente; esta canção foi gravada pelo grupo inglês Manfred Mann, mas ficou consagrada na versão do Love, banda folk de garagem de Los Angeles. “(They Long to Be) Close to You”, que foi um megahit romântico com os Carpenters, foi cantada por todo o público.

Bacharach falou que suas incursões no mundo do cinema tinham sido muito bem sucedidas e anunciou que iria mostrar um medley de algumas canções que criou para produções de Hollywood. Foi uma impressionante sequência de hits, que teve “The Look of Love” (com vocal de Bacharach), “Arthur's Theme (Best That You Can Do)”, “What's New, Pussycat”, “The World Is a Circle”, “The April Fools”, “Raindrops Keep Fallin' on My Head”, “The Man Who Shot Liberty Valance”, “Making Love”, “Wives and Lovers” (com direito a improviso jazzístico),”Alfie” (também com vocal de Bacharach) e “A House is Not a Home”.

Bacharach veio novamente à frente do palco para exaltar a amizade. Foi a deixa para “That's What Friends Are For”, sucesso nos anos 80 com Dionne Warwick. Bacharach anunciou duas novas canções, que foram ouvidas com curiosidade pelo público. Depois disto, John Pagano cantou com vigor “Any Day Now”, original de Chuck Jackson, também gravada por Elvis Presley, Scott Walker e muitos outros. O maestro, então, falou que o próximo número seria a última e pediu para que o público cantasse junto. E veio uma reprise de “Raindrops Keep Fallin' on My Head”, mas desta vez a canção foi tocada na íntegra.