Norah Jones recebe homenagem póstuma do Grammy a Ravi Shankar

Carole King, The Temptations e Lightnin' Hopkins também receberam o prêmio de conjunto da obra

Rolling Stone EUA Publicado em 11/02/2013, às 13h20 - Atualizado às 13h38

O "Padrinho da World Music" Ravi Shankar, mestre da cítara que ajudou a popularizar a música indiana nos anos 60, morreu aos 92 anos em 11 de dezembro. Ele influenciou a cultura hippie e artistas como Beatles, Grateful Dead e John Coltrane.
AP

O prêmio de conjunto da obra de Ravi Shankar, concedido pelo Grammy, foi aceito por Norah Jones e Anoushka Shankar, filhas do mestre da cítara, na tarde do último sábado, 9, de acordo com a agência de notícuas Associated Press.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

"Quando eu o via tocar, ele conseguia levar as pessoas a um estado meditativo incrível no qual elas fechavam os olhos e choravam, entravam em contato com algo mais importante", disse Anoushka Shankar, que também toca cítara, à agência Reuters.

Jones contou à AP que seu pai soube a respeito do prêmio uma semana antes de sua morte, em dezembro, aos 91 anos. "Ele sabia e ficou muito feliz. Também ficou feliz por ele e minha irmã Anoushka estarem indicados na mesma categoria para um Grammy, isso também foi uma coisa especial”, ela disse, se referindo ao fato de que o pai e a irmão disputavam o título de Melhor Disco de World Music. "Todos nós sentimos a falta dele e temos muito orgulho dele. Para sempre vou descobrir e redescobrir a música dele".

Durante a celebração dos prêmios de Méritos Especiais da Academia, que aconteceu no Wilshire Ebell Theatre, o prêmio de conjunto da obra ainda foi entregue para a cantora e compositora Carole King (também indicada na categoria Melhor Álbum de Pop Vocal Tradicional), o baixista Charlie Haden, o pianista clássico Glenn Gould, o guitarrista Ed blues Lightnin' Hopkins, The Temptations e a cantora Patti Page. Os fundadores da Chess Records Philip e Leonard Chess e os compositores Marilyn e Alan Bergman receberam um prêmio de mérito especial para não-artistas e os Grammys técnicos foram entregues aos desenvolvedores do MIDI Ikutaro Kakehashi e Dave Smith, além do fabricante de microfones Royer Labs.