Novidades do mundo nerd deixam Comic Con Experience com saldo positivo

Convenção fecha mais um dia no azul, trazendo a série Marco Polo e confirmando filme da trupe Porta dos Fundos

André Nespoli Publicado em 06/12/2014, às 16h58 - Atualizado às 17h28

Comic Con Experience

Ver Galeria
(11 imagens)

O que você acharia de ser convocado para dar uma renovada em uma franquia megapopular como Star Wars? Pois quem esteve no segundo dia da Comic Con Experience nesta sexta-feira, 5, pôde saber desta e de outras coisas quentíssimas que estão rolando no universo “nerd”. Quem falou a respeito da saga mais adorada do universo foi o autor e guru daquela mitologia, Timothy Zahn. E o dia ainda teve muitas outras novidades.

Primeiro dia da Comic Con Experience tem boas atrações e os delírios de compras dos geeks.

“Foi emocionante, mas fiquei ansioso para agarrar a oportunidade. Foi um sonho realizado, e então já comecei a trabalhar integralmente nisso. Pensei que se o George Lucas tinha vindo do nada e teve todo esse sucesso, eu também poderia ter”, disse Zahn no painel ‘Expandindo Universos’ sobre como foi ser chamado para escrever e dar novos rumos a Star Wars ao escrever os livros da trilogia de Thrawn que, conforme o nome do painel diz, expande o universo de Star Wars. A palestra ainda tinha a igualmente renomada Christie Golden, também autoria e responsável por um dar uma refrescada em um título também importante, o game World of Warcraft.

“Eu não esperava por isso [ser escolhida para escrever em WoW]. Era um dia comum, meu agente me ligou e perguntou: ‘O que acha de escrever para World of Warcraft?’. Eu respondi: ‘Claro!’. Fiquei muito emocionada. Sinto que sou uma privilegiada por ter entrado neste mundo”, explicou, deixando um leve sorriso de boas lembranças para quem quiser ver.

Galeria: os dez piores filmes de super-heróis da última década.

Outras atrações

Os 39 mil metros quadrados do Centro de Exposições Imigrantes, na zona sul de São Paulo, tiveram um visível aumento de visitantes em comparação ao dia anterior, e mais de 20 mil pessoas compraram, tiraram fotos, acompanharam palestras e compraram (de novo!) os milhares de itens e souvenires à venda, (falamos sobre eles aqui )

Ainda tivemos um painel especial com cinco artistas do Porta dos Fundos. Bem, foram seis, mas Rafael Infante, apesar de vir de carro do Rio de Janeiro até São Paulo somente para a CCXP, chegou quase no fim da apresentação, tudo por causa do trânsito da capital paulista. Como não poderia deixar de ser, o nome do ausente foi lembrado com muita chacota pelos presentes, que eram Antonio Tabet, Luis Lobianco, Júlia Rabelo, João Vicente de Castro e Gabriel Totoro.

Veja imagens divulgadas de Batman v. Superman aqui.

Apesar dos temas polêmicos que o grupo trata de forma descompromissada, houve juras de que seus advogados foram acionados poucas vezes, até hoje. Uma história lembrada foi a de uma pessoa que entrou em contato de forma mais acintosa. Ela se chamava Kélen, igual à moça da esquete ‘Na Lata’, que tem o seu nome mencionado por Fábio Porchat como uma alcunha para prostitutas. Segundo Luis Lobianco, bastou um pedido de desculpas para que o caso não fosse parar na justiça.

“Tem 40 pessoas trabalhando no Porta dos Fundos. Trinta e sete devem ser do setor jurídico”, brincou João Paulo, logo após Tabet usar o nome da Rede Globo em uma piada satírica sobre novelas diferentes-mas-sempre-iguais.

O assunto principal abordado pelos humoristas foi o lançamento de um filme. Mesmo que o tópico já venha sendo divulgado desde o ano passado, agora parece que “a brincadeira ficou séria”.

Heróis em LEGO nas HQs? Revistas da DC Comics ganham capas alternativas.

“É o nosso projeto principal hoje. Posso garantir que vai ser a coisa mais foda que tem”, contou Lobianco, seguramente se apoiando no recorde de mais de um bilhão de visualizações que Porta dos Fundos tem no YouTube.

Então, foi mostrado um pequeno teaser, de quase 15 segundos, com todos os personagens do PdF machucadíssimos, ensanguentados e vestidos à antiga moda do Império Romano. A surpresa maior fica para o fim, com Compadre Washington - sim, o Compadre Washington do É o Tchan - aparecendo com o mesmo figurino, arrancando altas risadas de surpresa de todo o auditório, que ficou lotado como não se viu no dia anterior.

O lançamento do longa, ainda sem nome, será mesmo em 2015, e as gravações começam entre o início e o meio do próximo ano.

Foi épico

A hashtag #VaiSerÉpico foi utilizada pela produção da Comic Con Experience nas redes sociais, muito por causa de esta ser a primeira edição de uma convenção organizada bem aos moldes da que acontece nos Estados Unidos. Coincidência ou não, um dos lançamentos mais aguardados no mudo das séries em 2014 é justamente a história de Marco Polo, o explorador italiano que viveu entre o século 13 e 14 e conviveu com a dinastia de Kublai Khan, na Mongólia.

A história da série épica é interessante. O canal americano Starz já tinha o projeto em mãos, mas por motivos burocráticos não pôde gravar na China e acabou desistindo da ideia. Veio então a nova poderosa Netflix e abraçou a causa. A estreia da primeira temporada, com 10 episódios, está marcada para o próximo dia 12.

O protagonista Lorenzo Richelmy e os atores principais Olivia Cheng e Chen Han estiveram no evento para falar da novidade, que tem orçamento de US$ 90 milhões, e deverá causar impacto igual ou maior ao dos colegas de casa House of Cards e Orange is the New Black.

“Penso que a Netflix se encaixou naturalmente com o projeto, por causa do trabalho de ponta que eles vêm fazendo nos últimos dois anos. Quando soube que eles fariam, fiquei muito empolgado. Isso porque, na primeira vez que li o roteiro, House of Cards e Orange is the New Black ainda não tinham estreado, então me interessou demais fazer a série. Todo o pessoal da produção na Netflix, de todos os níveis, está muito envolvido com tudo o que estamos fazendo. Agora estou muito ansioso, já que penso que é uma ótima parceria com o tipo de foco que eles têm e o tipo de série que estamos fazendo, que é muito próximo do que se faz no cinema”, contou Han à Rolling Stone Brasil.

Vale lembrar que Marco Polo é produção de uma empresa com sede nos Estados Unidos, mas que não conta com norte-americanos no elenco (fato raro), sendo também rodada bem longe de lá - na Itália, Cazaquistão e Malásia. Tendo em vista o que a Netflix produziu até hoje, possivelmente temos um grande sucesso estreando na próxima semana.