Novo Call of Duty bate recorde de vendas

Jogo militar vende 4,7 milhões de unidades e gera receita de US$ 310 milhões nas primeiras 24 horas

Da redação Publicado em 13/11/2009, às 12h41

Com US$ 310 milhões só no primeiro dia de vendas, o jogo Call of Duty: Modern Warfare 2 superou novo recorde no setor, afirmou a fabricante Activision Blizzard.

O game militar, ambientado em parte no Rio de Janeiro, vendeu cerca de 4,7 milhões de cópias nas primeiras 24 horas (o lançamento ocorreu na terça, 10). O recorde anterior pertencia a Grand Theft Auto IV, com receita dos mesmos US$ 310 milhões, mas menos unidades vendidas: 3,6 milhões.

Antes mesmo de as lojas abrirem, fãs já formavam longas filas para comprar o que foi considerado o lançamento mais esperado do ano. Um ganho importante para o setor, que sofreu queda de 13% nos rendimentos, conforme dados da NPD, empresa que monitora o ramo. A indústria de games movimenta, no mundo todo, em torno de US$ 50 bilhões por ano. A Activision, também responsável pela franquia musical Guitar Hero, viu suas ações valorizadas em média de 30% este ano.

A título de comparação: The Beatles: Rock Band, inspirado na banda campeão de vendas, vendeu, nos EUA, cerca de 595 mil unidades nos primeiros 25 dias, conforme dados da NPD.

Segundo a agência de notícias Reuters, analistas preveem a comercialização de até 13 milhões de exemplares do Modern Warfare 2 até o fim do ano - os reflexos da crise econômica não devem frustrar as expectativas, pois os fãs da franquia militar se encaixariam no perfil de aficionados que se permitem gastar os US$ 60 cobrados pelo produto.

O MW2 mostra cenários que vão de favelas cariocas a montanhas russas, passando por Afeganistão e Cazaquistão. Apropriado para jogador único, o game de tiro promove caça militar ao terrorista fictício Vladimir Makarov, criando uma polarização EUA-Rússia que recria a atmosfera carregada da Guerra Fria, na qual soviéticos e norte-americanos dispustavam zonas de influência no mundo.