Novo Death Note: Quais os principais cuidados que o autor do mangá precisa ter nesse retorno após 14 anos?

A editora japonesa Shueisha anunciou recentemente o lançamento de uma nova história no universo do caderno da morte e dos shinigami

Redação Publicado em 24/01/2020, às 18h51

None
Capa do novo Death Note (Foto:Reprodução)

Atenção: o texto abaixo contém spoilers de Death Note

Shueisha, a maior editora do Japão, anunciou recentemente o retorno de uma série de mangá à altura do status conquistado pela empresa. Nada mais nada menos que Death Note, uma das histórias em quadrinhos japonesas mais aclamadas, ganhará um one-shot de 87 páginas, ou seja, uma história completa contada em um livro, 14 anos depois do fim do original.

Escrita por Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata, a trama, publicada mensalmente na revista Shonen Jump (mesma que distribuiu Dragon Ball e Naruto) entre janeiro de 2003 e maio de 2006, acompanha a história do jovem estudante e gênio Light Yagami, que encontra um caderno vindo diretamente de um mundo mágico, com o poder de matar quem quer que tenha o nome escrito nas páginas dele.

Assim, o protagonista assume a persona de Kira, e começa a se dedicar a "criar o mundo perfeito" e, consequentemente, se tornar o Deus do Novo Mundo, julgando quem deve morrer e quem merece viver.

As mortes misteriosas que resultam dessa ação trazem à cena outro gênio, mas nesse caso, um detetive de nome L, que começa a investigar esses assassinatos aparentemente sem explicação. A partir desse ponto, e com a genialidade deles jogando de cada um dos lados da lei, começa uma partida de xadrez criminal, na qual um tenta pensar à frente do outro, e o outro tenta pensar à frente do que o outro tenta considerar como à frente.

Complicado? Sim, mas absolutamente incrível, imprevisível e intrigante.

Com tudo isso em mente (ufa!), pensamos em alguns fatores que o autor precisa tomar muito cuidado na hora de criar para essa nova história. Como por exemplo:

Novo protagonista

Infelizmente é inevitável, e é aqui que vamos dar o maior spoiler possível: tanto Light Yagami quanto L morrem.

Não vamos entrar em detalhe de como as mortes acontecem, mas precisávamos deixar isso claro para afirmar que: é essensical para o autor ter muito cuidado na hora de apresentar não apenas o novo protagonista, mas como todo o grupo que vai se envolver e ser afetado pelo item mágico que mata pessoas com um poder inexplicável, já que foi divulgado que o enredo se passará depois dos acontecimentos contados anteriormente.

Com base na capa já divulgada da nova edição (que pode ser vista abaixo), o novo personagem principal segura um celular, isso se levarmos em conta de que o menino de cabelo e roupas descoladas vai ser o novo protagonista

Apesar de a tecnologia exercer um papel importante nas investigações do mangá original, apresentar esse dispositivo eletrônico na capa pode ser um indício de que a história dará um foco maior para o aparelho, talvez para trazer a trama para os tempos atuais.

E isso pode ser preocupante, já que se trata de um caderno da morte, no qual é preciso escrever os nomes nas folhas dele, e não um celular da morte, no qual você envia uma mensagem de WhasApp para matar alguém.


Dinâmica entre o bem e o mal

Como dito antes, a dinâmica entre Kira e L, nessa jogo de gato e rato, é extremamente bem escrita e criativa, com os dois tentando prever o próximo passo do outro antes mesmo de qualquer um se mover. 

A genialidade dessa interação dos dois nunca foi vista em nenhum mangá, ou anime, ou graphic novel. Tanto que após a morte do detetive, o próprio mangá original perdeu força com o público ao tentar apresentar um novo investigador para enfrentar o dono do caderno. 

Então imagine só, que se não deu certo nem no original, o cuidado na hora de instaurar novos personagens, um em cada polo dos conceitos de moral e ética, precisará ser dobrado. Ou melhor, triplicado. Talvez até mais. A perfeição com a qual a dupla inicial foi criada vai além do normal, o que torna todo esse desafio de criar um novo conflito muito mais difícil.


Veja abaixo a capa da nova história de Death Note, que será publicada no Japão no dia 4 de fevereiro. 

O anime original completo de Death Note está disponível na Netflix, além dos três filmes japoneses e também o tão odiado longa produzido pela própria plataforma de streaming, estrelado por atores norte-americanos.


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 1), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL