Novo disco do Pink Floyd terá “música ambiente e instrumental”

Chamado The Endless River, o álbum foi curiosamente anunciado pela esposa de David Gilmour e chega às lojas em outubro

Redação Publicado em 08/07/2014, às 14h31 - Atualizado às 16h25

David Gilmour - Pink Floyd
Martin Meissner/AP

Após Polly Samson, esposa de David Gilmour, dar com a língua nos dentes – ou algo parecido, já que ela contou de antemão através do Twitter –, o Pink Floyd confirmou no site oficial o lançamento do novo disco da banda, The Endless River, que chega às lojas em outubro deste ano.

O guia definitivo da Rolling Stone Brasil para a história, a obra e as loucuras da banda mais ambiciosa do rock and roll, o Pink Floyd.

O grupo ainda ofereceu um pouco do que poderá ser ouvido no trabalho que interrompe um hiato de duas décadas. “Este álbum terá principalmente música ambiente e instrumental, com base nas gravações [da época] de Division Bell, entre 1993 e 1994, com David Gilmour, Nick Mason e Richard Wright”, diz o texto.

“O disco é produzido por David Gilmour com Phil Manzanera e também conta com o engenheiro de som Andy Jackson”. As músicas ainda não estão prontas, segundo o comunicado, “elas são um trabalho em andamento”.

Roger Waters: 10 clássicos da carreira solo e do Pink Floyd.

Anúncio inesperado:

Polly Samson, esposa do cantor e guitarrista David Gilmour, surpreendeu os fãs no último sábado, 5, quando ela anunciou no Twitter que a banda está trabalhando no álbum e que ele deve sair no segundo semestre deste ano. A Rolling Stone EUA entrou em contato com um representante de Gilmour que confirmou a informação.

“Aliás, o novo disco do Pink Floyd que sairá em outubro se chama The Endless River”, escreveu Polly. “[O álbum] é baseado nas sessões de 1994. É o canto do cisne de Rick Wright e é muito bonito”, continuou ela, citando o tecladista e integrante fundador da banda que morreu de câncer em 2008, aos 65 anos.

Durga McBroom-Hudson, cantora que saiu em turnê com a banda entre os anos 1980 e a década seguinte, aparentemente, também está envolvida com o projeto e deu mais detalhes sobre The Endless River através da página dela no Facebook.

David Gilmour e Roger Waters revelam por que a frágil colaboração por trás de The Dark Side of the Moon, a obra-prima do Pink Floyd, estava fadada a se desmanchar.

“As gravações começaram nas sessões de The Division Bell e, sim, era um projeto paralelo originalmente chamado The Big Spliff, do qual Nick Mason falou”, explicou ela. “É por isso que há faixas de Richard Wright. Mas David e Nick fizeram muitas coisas com as canções desde então. Originalmente era para ser uma gravação completamente instrumental, mas em dezembro do último ano eu gravei vocais para algumas delas. David, então, expandiu meus vocais de apoio e o transformou em voz principal em pelo menos uma das músicas.” Durga concluiu afirmando que o novo disco consiste de material inteiramente inédito.

De acordo com o jornal britânico The Sun, o novo álbum não terá a participação de Roger Waters, baixista que deixou o grupo em 1983 e não esteve envolvido nas gravações de The Division Bell. A publicação também afirma que a banda não tem planos de sair em turnê para divulgar The Endless River.