Novo James Bond poderá se passar no Afeganistão

Daniel Craig, pela terceira vez na pele do agente 007, pode combater o tráfico de drogas em filme previsto para 2011

Da redação Publicado em 15/06/2009, às 11h23

O 23° filme da franquia James Bond deverá se passar no Afeganistão, segundo o jornal britânico The Guardian. A equipe do filme - o terceiro com Daniel Craig no papel do espião que gosta de seu Dry Martini "batido, não mexido" - já teria entrado em contato com a embaixada britânica na capital, Cabul, em busca de orientações técnicas - a intenção é usar locações na província de Helmand, ao sul do país.

Na sequência de Cassino Royale e Quantum of Solance, Bond combateria barões do tráfico de drogas no Afeganistão. Lashkaer Gah, capital de Helmand, é foco de insurgentes talibãs - diplomatas só podem sair escoltados por guardas-costas e em veículos à prova de bala. A cidade é, ainda, a maior produtora de derivados do ópio do mundo.

Não será a primeira vez que o Afeganistão servirá como set à saga criada pelo escritor Ian Fleming, em 1953. Em Marcado Para a Morte (1987), com a Guerra Fria ainda inscrita no globo, o James Bond de Timothy Dalton virou prisioneiro em um campo soviético instalado no país.

Peter Morgan juntou-se recentemente ao time de roteiristas que dará conta da história, completado por Neal Purvis e Robert Wade. Enquanto os dois últimos trabalharam juntos nos quatro filmes mais recentes do agente 007, Morgan ainda é relativamente novato no terreno da ação. Seu currículo, no entanto, lhe dá crédito: ele assinou filmes como A Rainha (pelo qual ganhou o Globo de Ouro, em 2007), Frost/Nixon e O Último Rei da Escócia. Morgan entra no lugar de Paul Haggis, que colaborou com os outros dois filmes com Daniel Craig na pele de Bond.

A previsão de lançamento é 2011. Por ora, pouco se sabe sobre o novo episódio da franquia. Craig será Bond e Judi Dench deverá retornar como M, a chefe do espião, mas o resto do cast, assim como o diretor, ainda não são conhecidos. É provável que o novo filme resgate personagens clássicas do universo de Fleming, como Q (responsável pelos engenhos usados pelo espião) e Moneypenny, secretária particular de M.