Novo livro de J.K. Rowling é sobre um homem cis que se veste de mulher para matar as vítimas

Obra gerou críticas nas redes sociais - e a hashtag #RIPJKRowling é um dos assuntos mais comentados do Twitter

Redação Publicado em 14/09/2020, às 17h47

None
J.K. Rowling (Foto: John Phillips / Getty Images)

Após comentários transfóbicos feitos nas redes sociais, J.K. Rowling está recebendo críticas negartivas pelo conteúdo do novo livro dela, Troubled Blood. A obra apresenta um homem cis que se veste de mulher para assassinar mulheres cis. As informações são do site Pink News.

+++LEIA MAIS: Como J.K. Rowling pode estragar o legado de Harry Potter?

O The Telegraph publicou uma resenha da obra, descrita como um “livro cuja moral parece ser: nunca confie em um homem em um vestido de mulher”. Segundo o site, a história apresenta uma investigação sobre um caso arquivado: o desaparecimento de uma mulher em 1974, supostamente vítima do serial killer. 

Considerando o posicionamento transfóbico de Rowling, a nova obra foi alvo de diversas críticas nas redes sociais. Inclusive, o revisor do The Telegraph, Jake Kerridge, falou sobre o assunto: “É de se perguntar o que os críticos da postura de Rowling sobre as questões trans farão com [o] livro”.

+++LEIA MAIS: J.K. Rowling devolve o prêmio de Direitos Humanos após comentários transfóbicos

A repercussão negativa do livro levou à criação da hashtag #RIPJKRowling, que está nos assuntos mais comentados do Twitter. Diversos perfis estão criticando a autora e argumentando que o posicionamento transfóbico fez com que a carreira dela acabasse.

Um perfil escreveu: “Não há muito com que se preocupar. Como tudo o que ela escreveu fora de Harry Potter - ninguém vai ler”. Outro perfil publicou: “Em memória de J.K. Rowling. Ela não está morta, mas ela matou sua própria carreira odiando orgulhosamente pessoas trans e ninguém sentiria tanto a falta dela de qualquer maneira”.

+++LEIA MAIS: Daniel Radcliffe rebate comentários transfóbicos de J.K. Rowling: ‘Sinto que devo dizer algo’

No entanto, outras pessoas criticam a hashtag, considerando-a desrespeitosa com a autora. “O fato da hashtag nojenta #RIPJKRowling ser uma tendência nessa bagunça de plataforma, diz a você tudo o que você precisa saber sobre a mentalidade desses TRAs[ativistas dos direitos trans]”, escreveu o ator James Dreyfus no Twitter. 


+++ BK' lança novo disco e fala sobre conexão com o movimento Vidas Negras Importam: 'A gente sabia que ia explodir'