O dia em que James Hetfield pegou fogo durante um show do Metallica

Com um público de 55 mil pessoas, a banda resolveu aumentar os efeitos pirotécnicos da apresentação

Redação Publicado em 08/07/2020, às 18h29

None
James Hetfield, vocalista do Metallica (Foto: Paul A. Hebert/AP)

Em entrevista ao VH-1’s Behind The Music, James Hetfield, do Metallica, lembrou do dia que pegou fogo durante um show da banda em Montreal, em 1992 (via Far Out Magazine).

Com um público de 55 mil pessoas, o grupo aumentou todos os efeitos pirotécnicos para a apresentação. Durante a música "Fade To Black", Hetfield pisou no lugar errado e acabou se deparando com uma chama de 3 metros. 

+++LEIA MAIS: James Hetfield é evasivo ao falar do futuro do Metallica depois de rehab: ‘Não sei o que acontecerá’

"Estou um pouco confuso sobre onde deveria estar, e então o cara piro não me vê, e 'whoosh!', Uma grande chama colorida se acende bem debaixo de mim. Estou queimado. Meu braço, minha mão, completamente até os ossos. O lado do meu rosto. O cabelo se foi. Parte das minhas costas. Eu assisti a pele subir, todas essas coisas dando errado", o artista relembou.

O músico teve os braços, mãos e sobrancelhas queimadas. Os danos não foram mais rigorosos porque a guitarra que o músico usava serviu de escudo.

+++ LEIA MAIS: Metallica remarca show após James Hetfield sair da reabilitação

Na hora do acidente,Hetfield  se jogou no chão e rolou para tentar apagar as chamas.

O baixista Jason Newsted comentou sobre o acidente à People: "Se ele estivesse respirando a [fumaça], estaria morto". O técnico de baixo da banda, Zach Harmon, acrescentou: "Eu corri e o vi segurando o braço dele com a pele saindo".

+++ LEIA MAIS: James Hetfield, do Metallica, toca ao vivo pela primeira vez após sair da reabilitação; assista

Hetfield foi para os bastidores enquanto esperava a ambulância e disse que brigou com uma pessoa da equipe que encostou nele: "Gritei e dei um soco nele bem na virilha!".

No hospital, os médicos concluíram que o artista tinha sofrido queimaduras profundas de segundo grau nas costas da mão esquerda e queimaduras de segundo e terceiro graus nos braços. "Eu estava em choque", disse o cantor do Metallica. "Os nervos pareciam estar expostos. Minha mão parecia a pior. Borbulhou em duas camadas que se soltaram. Foi praticamente a pior dor que já senti."

+++LEIA MAIS: Metallica publica show icônico com ‘um dos melhores setlist de todos’ na íntegra; assista

 O artista foi tratado no hospital, a banda adiou os seis shows seguintes e voltou ao palco pouco mais de uma quinzena depois.

Assista:


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO