O dia em que Kim Gordon, ex-Sonic Youth, assumiu os vocais do Nirvana na música 'Aneurysm'

A apresentação aconteceu no Rock and Roll Hall of Fame em 2014

Redação Publicado em 16/07/2020, às 19h45

None
Kim Gordon em apresentação de Aneurysm, do Nirvana (Foto: Reprodução/YouTube)

Em 2014, quando o Nirvana foi finalmente introduzido no Rock and Roll Hall of Fame, os integrantes Dave Grohl e Krist Novoselic sabiam que precisavam de uma apresentação especial para suprir a falta do líder Kurt Cobain, como lembra a Far Out Magazine.

+++ LEIA MAIS: Como foi a passagem do Nirvana pelo Brasil em 1993: noite com João Gordo e caos no palco; assista ao show completo

Grohl e Novoselic tiveram a ideia de tocar os clássicos do Nirvana com cantoras, um plano que incluía Kim Gordon, do Sonic Youth - artista que se encaixou perfeitamente na formação e fez uma performance na qual Cobain teria, sem dúvida, adorado.

Todos os artistas masculinos se recusaram a participar. Grohl disse à Rolling Stone EUA: "Alguns deles estavam nervosos, acredito que alguns estavam apreensivos por causa do peso da coisa toda". 

+++ LEIA MAIS: A noite em que Grohl e Novoselic, do Nirvana, ficaram bêbados e destruíram quarto de hotel

Ele continuou: "Pensamos: 'Espere, tem que ser todas as mulheres'. Nem pergunte a mais ninguém. Se pudermos encher a apresentação do Rock and Roll Hall Of Fame com essas mulheres incríveis cantando músicas do Nirvana, teremos alcançado nossa própria revolução."

Joan Jett, Lorde, St. Vincent e Kim Gordon se juntaram ao Nirvana nos vocais para o evento comemorativo. Grohl falou sobre as escolhas: "Joan Jett, dos Runaways, mudou o rock and roll para mulheres. Kim Gordon, do Sonic Youth, era um farol de luz na cena punk rock underground predominantemente masculina. St. Vincent é perversa e está ultrapassando fronteiras agora. E Lordetem um futuro incrível pela frente como escritora, intérprete e vocalista."

Kim Gordon foi a escolhida para a apresentação de “Aneuresym”, e parecia que já tocava ao lado de Grohle Novoselic há décadas. Além disso, de acordo com a Far Out Magazine, a ex-líder do Sonic Youth foi uma escolha significativa, porque sem ela é possível que o Nirvana não se tornasse um nome familiar, pois ela recomendou a banda à gravadora Geffen

+++ LEIA MAIS: MTV Unplugged do Nirvana será relançado em vinil em comemoração aos 25 anos do disco

Assista:


+++ 15 HISTÓRIAS INACREDITÁVEIS (E REAIS) DE OZZY OSBOURNE