“O mundo não precisa de muros”, diz Lars Ulrich sobre política imigratória de Trump

“Minha banda viaja ao redor do planeta tentando unir as pessoas pela música”, se posicionou o baterista do Metallica

Rolling Stone EUA Publicado em 07/03/2017, às 17h28 - Atualizado às 18h33

Lars Ulrich
Paul A. Hebert/AP

Lars Ulrich, baterista do Metallica, criticou a decisão do presidente norte-americano, Donald Trump, de construir um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. “Não acho que o mundo precise de mais muros. Acho que as pessoas devem se unir”, disse o músico em entrevista ao jornal mexicano Las Estrellas.

“O Metallica viaja ao redor do mundo tentando unir as pessoas por meio da música”, acrescentou Ulrich, que é dinamarquês e foi criado nos Estados Unidos. “Independentemente de onde estivermos, seja no México ou em algum lugar da Ásia ou da Europa, tentamos encorajar pessoas diferentes, de lugares distintos, a se unirem e a compartilharem música, vida e cultura.”

Trump fez da ideia da construção do muro uma das peças centrais da campanha à presidência. Após a tomada de posse, ele assinou uma ordem aprovando o projeto. No entanto, detalhes sobre o muro, como, por exemplo, quem pagará por ele, ainda permanecem desconhecidos.

O Metallica sempre se manteve afastado de questões políticas ao longo da carreira, embora o grupo tenha tocado em assuntos como a pena de morte e a guerra às drogas em faixas como "Ride the Lightning" e "Disposable Heroes".

Dando respaldo às palavras do colega de banda, Kirk Hammett tuítou, em janeiro, sobre o início do mandato de Trump: "Prestem atenção! É preciso defender a verdade, a compaixão e a união. Não se acomodem com qualquer coisa menor que isso. Rejeitem as mentiras, o medo e a raiva sem sentido. O sistema quer nos dividir, então é mais fácil que ele nos controle pelas emoções."

Assista abaixo à íntegra da entrevista.