O que aconteceu com o cachorrinho de Keanu Reeves depois de John Wick?

O beagle - chamado Andy, não Daisy - conquistou o coração do elenco

Redação Publicado em 24/07/2020, às 15h10

None
Andy e Keanu Reeves (Foto: Reprodução / Lionsgate)

John Wick é uma história de vingança, morte, assassinato e muita ação… E tudo isso começou por causa da morte de um cachorrinho! O personagem de Keanu Reeves, um assassino aposentado, perde a esposa, mas ela deixa Daisy, uma filhotinha de beagle, para lhe fazer companhia. Um assaltante, porém, rouba o carro dele e acaba matando o animalzinho…

Como toda a saga advém desse momento, foi necessário encontrar o cachorro ideal para Reeves interagir. O animal precisava ser fofo a ponto de justificar a ultraviolência. “O cachorro precisava ser simpático, gostar de estar entre pessoas e, claro, ser bonito. Tudo isso precisavam estar em um único animal,” explicou Kim Krafsky, criadora de animais atores, para o New York Post.

+++ LEIA MAIS: A vida de Keanu Reeves: péssimo na escola, perda de filha e sucesso de Matrix e John Wick

A raça escolhida , então, foi beagle. “Eles têm isso, são simplesmente fofos. Não são nem grandes nem pequenos, são simplesmente fofos com aqueles olhos tristes.” O pequeno, escolhido a dedo para interpretar Daisy, chama-se Andy. Era tudo o que poderiam esperar:

“Ele derrete seu coração com os olhos. Também tem o temperamento certo. Ele e Keanu Reeves se deram bem de cara… Mas, quem não amaria esse cachorrinho?”, acrescentou ao USA Today.

+++ LEIA MAIS: Keanu Reeves opina como coronavírus deve mudar set de Matrix 4

Andy conquistou muito além de Keanu Reeves: todos no set o amavam. Omer Barnea, o intérprete do bandido que teria que matar o cachorro no filme, sentia-se extremamente culpado, como contou Krafsky: “Sentia-se horrível. Sempre que o diretor cortava a cena, ele pegava o cachorro e fazia carinho.”

Depois das filmagens, o cachorrinho voltou para a fazenda de animais de Krafsky. Espera, lá, por outros papeis.

+++ FREJAT: O DESAFIO É FAZER AS PESSOAS SABEREM QUE O DISCO EXISTE