O que levou Brian Jones a sair dos Rolling Stones?

O fundador e guitarrista anunciou a saída dele da banda em 1969

Redação Publicado em 03/04/2020, às 13h06

None
Brian Jones e Mick Jagger (Foto: AP)

Brian Jones foi o fundador dos Rolling Stones e o grande responsável por construir a identidade artística do grupo. Contudo, o guitarrista foi expulso da própria banda pelos colegas em 1969.

De acordo com o site Grunge, ao mesmo tempo que Mick Jagger e Keith Richards passaram a chamar atenção dos holofotes, Jones passou a ficar cada vez mais insatisfeito com o trabalho do grupo e os colegas.

Além dos conflitos profissionais, o músico também tinha problemas pessoais com alguns integrantes. Em 1967, a namorada de Jones, Anita Pallenberg, terminou o relacionamento com o músico para começar um namoro com Richards.

+++ LEIA MAIS: Fundador dos Rolling Stones, Brian Jones já vestiu uniforme nazista para ensaio de fotos na Alemanha

Jones ainda era conhecido pelo abuso de drogas - até mesmo os colegas da banda, também famosos pelo uso de substâncias ilícitas, se incomodavam com o consumo do músico - e o comportamento inconsequente.

Em 1969, o guitarrista foi preso por posse de drogas duas vezes, além de ter sido internado em um hospital sob um pseudônimo após sofrer um acidente com uma motocicleta.

Neste mesmo período, os integrantes da banda se preparavam para uma turnê nos Estados Unidos e Jones causou problemas novamente ao ter o visto negado por causa do histórico de crimes dele.

+++ LEIA MAIS: Keith Richards já passou 9 noites acordado, dormiu em pé e acordou em uma poça de sangue; conheça a história

Então, Jagger e Richards se reuniram e anunciaram para o colega que iriam continuar com a banda sem ele. Os músicos ainda deixaram Jones dizer para imprensa que a saída dele foi resultado de divergências artísticas.

Brian Jones foi encontrado morto na piscina de casa aos 27 anos, em Sussex, no Reino Unido, três semanas após o anúncio. O laudo médico do astro do rock determinou a causa da morte como “desventura”, termo usado quando a vítima mantinha atitudes ou hábitos que ofereciam risco de vida. 


+++ TRAVIS SCOTT: O HYPE EM TORNO DELE REALMENTE FAZ SENTIDO?