O que Mandalorian e infame Especial de Natal de Star Wars têm em comum?

A falha notória do universo Lucasfilm não saiu da memória do público até hoje - mas sua existência ainda é importante

Alan Sepinwall | Rolling Stone EUA. Tradução: Marina Sakai | @marinasakai_ sob supervisão de Yolanda Reis Publicado em 16/02/2021, às 18h40

None
The Mandalorian (Foto: Reprodução/ Disney)/ Especial de Natal de Star Wars (Foto: Reprodução/Lucasfilm)

Antes de começarmos esse exercício nostálgico, dois assuntos a considerar. Primeiro, assisti o Especial de Natal de Star Wars pela primeira vez, e escrevo essa review como uma meta extensa para o Talk Show do George Lucas, arrecadação de fundos para o Feeding America. Segundo, essa resenha contém spoilers para o último episódio da segunda temporada de The Mandalorian.

Eu vi dois Luke Skywalkers falsos este mês, mas ambos eram um pouco reais. 

+++LEIA MAIS: Disco de vinil, livro e muito mais: 12 itens que todo fã de Star Wars vai querer ter em casa

O primeiro impostor estava no episódio final de The Mandalorian, era a Deep Fake da cara de Mark Hamill em O Retorno de Jedi (1993) colada no corpo do ator Max Lloyd-Jones — e não era uma boa Deep Fake. Aquela cena foi tão arrepiante e, apesar dos efeitos visuais fracos, mostrou o quão boa a equipe criativa é em entender como contar histórias no universo Star Wars, sendo sobre novos personagens ou simulando digitalmente os antigos. 

Esse Lukeera pouco convincente, mas foi apropriado aparecer naquele momento da história de Mando e Baby Yoda. (E as cenas de luta com Lukeescondendo sua cara debaixo de um capuz deram a possibilidade ao Team Mando de dar ao público um gosto do Luke Skywalker, Mestre Jedi, imagem não alcançada nos filmes originais — fora a manobra realizada por ele em O Retorno de Jedi.)

+++LEIA MAIS: Roteirista de Star Wars: A Ascensão Skywalker precisou reescrever o filme 'todo dia’

O segundo Lukefalso atuou 100% de acordo com Mark Hamill como parte do Especial de Natal de Star Warsde 1978. Os fãs de Star Wars são polarizados, e você pode se lembrar disso em um instante se for insensato o suficiente para oferecer opiniões sobre Os Últimos Jedi (2017) nas redes sociais.

O fiasco do Especial de Natal

Mas entre as pobres almas azaradas o suficiente para ter assistido o Especial de Natal, há um acordo unânime: este foi o ponto mais baixo para a franquia dona de Jar-Jar Binks, Anakin explicando seu ódio por areia, e quase todas as partes de Star Wars: Episódio IX - A Ascensão de Skywalker.

+++LEIA MAIS: Elizabeth Olsen entrou para o MCU por causa de Star Wars; entenda

Talvez como resultado do acidente de carro de Hamillum ano e meio antes, e a consequente cirurgia de reconstrução facial, ele apareceu no especial com quilos de maquiagem pesada, parecendo menos o Lukede Tatooine e mais com uma jovem Carol Channing.

Entre a maquiagem e Hamill, o qual, assim como as co-estrelas Carrie Fisher e Harrison Ford, não está feliz de fazer parte desse empreendimento, Lukedo especial parece menos convincente comparado ao Lukede CGI de The Mandalorian.

+++LEIA MAIS: Gina Carano anuncia novo longa em parceria com site conservador após demissão de The Mandalorian

Esses dois programas de televisão (se não for insultante ao meio de TV descrever o Especial de Natal dessa forma) obviamente não foram feitos para serem assistidos de perto. Têm um intervalo de mais de 40 anos entre ambos. The Mandaloriané a preciosidade da Disney+, descrita pelo presidente da Disneycomo a prioridade número um da empresa. 

A série foi feita com envolvimento de muitos veteranos da Lucasfilm, mais notavelmente, o produtor Dave Filoni, de Star Wars: A Guerra dos Clones (2008) e a animação Rebels. O especial de natal foi um trabalho apressado, com objetivo de acrescentar à popularidade surpresa do primeiro filme da franquia (e para ajudar a manter o público consciente durante a longa espera até Star Wars: O Império Contra-Ataca (1980). 

+++LEIA MAIS: WandaVision terá surpresa igual 2ª temporada de The Mandalorian, diz Elizabeth Olsen

Depois de chegar à ideia de fazer a família de Chewbaccacelebrar o “Life Day,” George Lucas não se envolveu e o projeto foi produzido por Gary Smith e Dwight Hemion. Nos anos seguintes, Lucasfez de tudo para apagar o especial da existência, mas cópias continuaram aparecendo no Youtubee em outros lugares.

No entanto, vê-los com poucos dias de diferença criou um contraste impressionante. O espaço entre a primeira aparição significante de Star Wars na TV e seu posto na TV atual parece ter mais de 12 parsecs de distância, não apenas em qualidade, mas em ambição. 

+++LEIA MAIS: Mark Hamill fala sobre participação em The Mandalorian: ‘Oportunidade inesperada’

Não é impossível imaginar algo como o Especial de Natal de Star Wars sendo feito hoje, apenas porque Cats, de Tom Hooper, existe. Mas seria muito difícil conseguir. Pedaços de propriedade intelectual são a única moeda na Hollywoodmoderna, e são protegidas como se fossem ouro. A mordomia da Disneycom essa franquia teve altos e baixos e também diretores demitidos, mas ninguém nessa empresa deixaria passar uma ocorrência como essa em um programa relacionado à Star Wars:

*Apesar de protestos dos roteiristas argumentando a inabilidade dos Wookies de falar, os créditos iniciais são seguidos de nove minutos de drama doméstico protagonizados pela esposa de Chewbacca, Mala, seu pai Itchy e seu filho Lumpy vagando pela casa na árvore da família no planeta Kashyyyk, se comunicando apenas através de rosnados.

+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes

*Para compensar a inabilidade do público de compreender a língua dos Wookies, muito do especial inclui a família de Chewie assistindo televisão há muito tempo em uma galáxia muito, muito distante, incluindo um circo holográfico, um clipe musical de Jefferson Starship e o programa de culinária mencionado acima com Korman explicando o jeito certo de preparar o lombo de Bantha.

Quantas pessoas seriam colocadas para fora da Disneypor propôr algo assim, filmá-lo e deixá-lo ver a luz do dia, em um especial para crianças?

+++LEIA MAIS: The Mandalorian: Você sabia que o primeiro desenho de Baby Yoda foi feito em um guardanapo?

O lado bom do especial

Se as pessoas têm memórias boas do especial,  são por conta de dois segmentos: um desenho introdutório de Boba Fett dois anos antes de O Império Contra-Ataca, e um número musical apresentando Bea Arthur como bartender na cantina de Tatooine onde Lukee Hanse conheceram no filme.

Ambos têm seu charme, especialmente se comparados ao resto da catástrofe — ver Arthur dar tudo de si na canção é um alívio depois dos segmentos de Lukee Leia, ambos semelhantes a vídeos de reféns — mas não fizeram sentido no contexto. Como Itchy, cidadão de um mundo ocupado por forças Imperiais, assiste a um filme animado sobre a aventura de seu pai envolvendo Boba Fett trabalhando como um agente secreto em nome de Darth Vader?

+++LEIA MAIS: Gina Carano, de The Mandalorian, se defende após fazer comentários sobre fraude nas eleições norte-americanas

O impacto de Star Wars

Nada além do esperado, dado o talento criativo do grupo. Os roteiristas eram do mundo da comédia ou da TV de variedades. Não era um grupo devidamente equipado para fazer algo fiel ao espírito do filme, especialmente considerando o único aspecto de insistência por parte de Lucas: o ângulo do "Life Day" e dos Wookies. Todos os envolvidos estavam destinados ao fracasso, e falharam espetacularmente.

Hoje, muitos roteiristas de comédia cresceram devorando Star Wars, quadrinhos e outros contos de ficção científica e fantasia, e seriam mais qualificados para contar piadas e apresentar canções vagamente parecidas com o material de origem. Mas alguém tentaria, em primeiro lugar? A Marveltem um especial de natal dos Guardiões da Galáxia em produção, mas parece ser uma paródia direta de Star Wars, e o MCU, por ser tão grande, tem espaço para experimentar. 

+++LEIA MAIS: Mark Hamill amou participar de Mandalorian: 'Os maiores presentes são os mais inesperados'

Mas quando você mergulha em uma máquina de lucro como Star Wars, tudo deve ser seguido de forma correta e verdadeira. Um Hamilldigitalmente mais novo aparece em The Mandalorian porque a série leva a mitologia e a ideia dos filmes a sério, apesar de ter espaço para piadas sobre Baby Yoda cometendo genocídio contra sapos.

Se você pudesse reescrever a história com Star Wars se tornando um fenômeno em 2019 ao invés de 1977 — ignorando o fato de a cultura pop operar do modo como opera por causa de Star Wars — não há como seu primeiro spin-off  de TV ser um especial de variedades. 

+++LEIA MAIS: As 7 séries de fantasia mais caras dos últimos anos

Lucasseria prático com isso, ou teria um colaborador confiável como Filoni cuidando de tudo enquanto trabalhasse no próximo filme. Provavelmente, teria muita ação, teria Luke, Leia e Hanmuito mais importantes e engajados, plantaria sementes para a próxima produção de um jeito muito maior. Tudo seria mais focado, vetado, anotado, debatido e, caso contrário, repassado com um pente de dentes finos.

O mal às vezes vem para o bem

De muitas maneiras, foi para o melhor. Evitei o especial durante toda a vida e posso afirmar: ela teria sido mais feliz se não contivesse memórias do pai de Chewbaccase masturbando. O Especial de Natal de Star Wars não é daqueles ruins quase bons, é simplesmente horrível, e nunca deveria ter acontecido.

+++LEIA MAIS: The Mandalorian: Executivo da Lucasfilm pede desculpas após ser criticado por zombar de reação de fã; entenda

Por outro lado, o controle da propriedade intelectual por parte das empresas tornou o mundo do entretenimento mais previsível e, muitas vezes, menos divertido. Minha criança interior estava emocionada em ver Lukese introduzindo a Mando, fazendo o universo Star Wars ser menor, e The Mandalorian parecer mais seguro. 

Quando tudo isso de dinheiro está em jogo, grandes riscos se tornam mais difíceis de serem tomados. O Especial de Natal de Star Wars não foi um risco, e sim, uma tentativa sem direção de ensinar uma mula a jogar shortstop. Mas alguém em 1978 tinha poder para conceber e produzir um fiasco tão óbvio, e isso é estranhamente reconfortante.

+++LEIA MAIS: The Mandalorian: 7 curiosidades sobre a série que você precisa saber antes de assistir

Não teria assistido ao filme inteiro se muitos dólares não estivessem em jogo, mas meu desejo de "Life Day" é que grandes negócios como Star Wars ganhem espaço para falhar miseravelmente no futuro — porque isso também indica a existência de uma chance  inimaginável de sucesso.


+++ HUNGRIA HIP HOP: 'SOU APEGADO EM SORRISOS QUE A MÚSICA PODE LEVAR' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL