O que a Marvel pode aprender sobre os filmes originais de X-Men?

Depois da Fox segurar a franquia por longos 20 anos, a Disney possui a propriedade das produções e os fãs esperam grandes momentos com os personagens

Redação Publicado em 07/08/2020, às 14h11

None
Hugh Jackman como Wolverine (Foto: Reprodução / FOX / Marvel)

O ano de 2020 marcou o aniversário de duas décadas do primeiro filme dos X-Men e a era da franquia com a Fox deve terminar ainda este ano — se o coronavírus permitir — com o lançamento de Os Novos Mutantes. Agora, a Disney possui a propriedade da franquia e os fãs esperam grandes momentos com os X-Men, caso o estúdio decida reintroduzir detalhes dos quadrinhos no Universo Cinematográfico da Marvel

+++ LEIA MAIS: Marvel quer Hugh Jackman de volta como Wolverine para filme com Hulk

Sendo assim, com base na lista do Cinema Blend, é hora de descobrir o que os X-Men do MCU podem aprender com a franquia Fox, que segurou as produções por longos 20 anos. Veja abaixo: 

+++ LEIA MAIS: Wolverine usa cabeça de menininha como arma em quadrinho da Marvel

Manter a precisão das histórias em quadrinhos

A Marvel deve procurar uma abordagem mais "fundamentada na realidade" dos mutantes. Por exemplo, recentemente o produtor Ralph Winter discutiu sobre a escolha dos ternos e afirmou a escolha dos de couro em relação aos amarelo e azul para alcançar uma audiência além dos entusiastas dos quadrinhos.

Esse detalhe de abordagem, não só definiu a série, como permitiu que os cineastas acrescentassem características muito diferentes dos personagens em quadrinho. No futuro, seria interessante ver o MCU voltar para os looks clássicos dos personagens e usá-los para dar desenvolvimento a história. 

+++ LEIA MAIS: Marvel quer Hugh Jackman de volta como Wolverine para filme com Hulk

Ignorar os personagens legais a troco de nada 

Há um número gigantesco de personagens dos X-Men nos quadrinhos e a franquia da Fox teve dificuldade em se concentrar nos personagens favoritos dos fãs. Em boa parte das vezes, alguns personagens tiverem destaque e os outros só receberam papeis de apoio. Um dos problemas da franquia X-Men foi quebrar com a animação do público que assistiu personagens impressionantes serem introduzidos como Psylocke, de Olivia Munn, e depois vê-los com apenas alguns minutos de tela.

É uma boa aposta que os X-Men estejam em melhores mãos dentro MCU quando o assunto é desenvolvimento de personagens, visto que o estúdio raramente introduziu um personagem apenas para fins de marketing. 

+++ LEIA MAIS: Nova série da Marvel terá Capitão América zumbi e Capitã Britânia; veja as imagens

Entender o próprio tempo de X-Men

A série de filmes X-Men se esforçou muito para conectar conflitos mutantes com a Crise de Mísseis Cubanos e é interessante observar os laços profundos com a própria história, uma vez que foi originalmente escrita como uma alegoria para o Movimento dos Direitos Civis dos anos 1960. No geral, seria interessante conectar comentários políticos e sociais com o tempo que estamos associados — apesar de acreditar que os fãs prefiram permanecer nos anos 1960. 

+++LEIA MAIS: Muito além do Snyder Cut: 6 versões de diretor melhores que o filme original

Não é necessário pensar no Wolverine — ainda 

A performance de Hugh Jackman como Logan, sem dúvidas, é o aspecto mais icônico e famoso da série e que deixará um legado imenso e duradouro. Afinal, ele foi o ponto inicial da franquia nos anos 2000 e passou a ser a representação das produções nos anos posteriores.

Embora já existam rumores sobre quem pode ser o próximo Wolverine — talvez até em uma versão mais cômica, é recomendável que a Marvel ainda não toque no personagem por um bom tempo. Afinal, existem muitos outros mutantes impressionantes que ainda não tiveram uma introdução ou um arco adequado nas grandes telas.

Se o MCU começar do zero, que não lidere com o Logan. Jackman é imbatível e levará um pouco mais de tempo para que o público aceite outra pessoa no lugar. 


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS