O que Tom Hiddleston mais gosta sobre Loki, do MCU?

O ator revelou qual é a melhor parte de interpretar o Deus da Trapaça

Julia Harumi Morita Publicado em 21/05/2021, às 09h03

None
Tom Hiddleston como Loki em Thor: Ragnarok (foto: reprodução/ Marvel)

Assim como os fãs do MCU, Tom Hiddleston possui um carinho especial por Loki, personagem que interpretou nos últimos 11 anos. Em entrevista ao Entertainment Weekly, o ator revelou qual a parte preferida dele de interpretar o Deus da Trapaça. (Via Screen Rant)

"É porque ele tem muito alcance. Lembro-me de ter dito isso a [Owen Wilson]: 'Nas 88 teclas do piano, ele pode tocar as teclas brilhantes e leves na parte superior. Ele pode ser espirituoso e leve, e ele é o Deus da Trapaça.'"

+++ LEIA MAIS: Tudo que sabemos sobre Loki, série do Disney+

O astro da Marvel continuou: "Mas também pode descer para o outro lado e tocar as teclas pesadas. E ele pode tocar alguns acordes realmente profundos lá, os quais são sobre tristeza, traição, perda, desgosto, ciúme e orgulho."

A conversa entre Hiddleston e Wilson aconteceu durante a "escola do Loki", na qual Wilson fez perguntas diretamente para o protagonista da nova série do Disney+, a qual estreia dia 9 de junho. Wilson será Morbius, uma espécie de especialista no Deus da Trapaça, segundo o EW.

+++LEIA MAIS: Trailer de Loki resolveu mistério de Vingadores: Ultimato; entenda

Para Hiddleston, o seriado é uma oportunidade de colocar Loki fora da zona de conforto, onde esteve em muitos filmes do MCU, e levá-lo para um novo ambiente, o qual precisa conhecer e se adaptar.

"Nos outros filmes, sempre havia algo sobre Loki muito controlado. Ele parecia saber exatamente quais eram as cartas na mão dele e como ele iria jogá-las... E Loki contra o AVT [Autoridade de Variação Temporal] é o Loki fora de controle imediatamente, e em um ambiente no qual ele está completamente atrasado, fora da zona de conforto dele."

+++ LEIA MAIS: 5 provas de que Loki não é um vilão [LISTA]


+++ SUPLA: 'NA ARTE A GENTE TEM QUE SER ESPONT NEO' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL