“O formato dos shows de rock está estagnado há anos”, diz Damian Kulash, vocalista do OK Go

A banda realiza a partir deste sábado, 19, dez apresentações “pop up”, nas quais ela chega em um caminhão toca uma música ou outra e vai embora

Stella Rodrigues Publicado em 18/11/2011, às 17h44 - Atualizado às 18h15

OK Go
Foto: Reprodução/Facebook oficial

A tag associada diretamente ao OK Go desde que o clipe deles “Here It Goes Again” virou hit no You Tube é criatividade. Avessos à ideia de conceitos intocáveis do rock e formatos burocráticos, os quatro rapazes norte-americanos também gostam de pensar fora da caixa, para usar uma expressão comum no país deles, quando o assunto é show.

A partir deste sábado, 19 (veja o calendário completo abaixo), o OK Go fará shows pop up. Basicamente, funciona assim: um caminhão contento músicos, instrumentos e tudo mais que é necessário chega no local marcado, as cortinas são abertas e eles tocam uma ou duas músicas. Terminada a performance, o caminhão vai embora. A ação tem parceria com uma marca de tequila, de forma que o conceito por trás de tudo é que eles farão “shots musicais”.

“Eu sempre quis fazer coisas assim”, conta o baixista Tim Nordwind. “O formato dos shows de rock está estagnado há anos. E não tem nada de errado com ele, fazemos isso 200 dias do ano. Mas é divertido testar o limite das coisas e ver se a experiência musical muda quando ela é apresentada de uma maneira diferente”, complementa o vocalista Damian Kulash. “Abrimos muitas turnês de bandas grandes e é muito impessoal, as pessoas estão lá no escuro e você tem que torcer para que uma ou outra saiba o seu nome.”

Uma experiência há cerca de cinco anos mudou a perspectiva deles de que a música tinha virado apenas uma commodity. Participaram de uma “parada musical” em Nova Orleans, em que as pessoas saem tocando em fila pelas ruas e, mesmo que o artista que puxa a procissão e o que está no fundo não estejam nem tocando a mesma música, todos se divertem. Isso os inspirou a realizar uma parada-show de oito horas, em Los Angeles. Agora, tentam fazer o contrário, comprimir o show em apenas um ou duas músicas - “a quantidade do que a gente sentir na hora”, explica Damian. “É, tipo, ‘surpresa!’. Vamos tentar recriar do zero, no meio da rua, aquela atmosfera de performance que em uma casa de shows já existe naturalmente”. Tim complementa: “é um território bastante desconhecido, mas essa é a graça”.

O clima de “tudo pode acontecer” não desanima os integrantes, pelo contrário. “Olhando para nossa vida, quase todos os dias eu paro e penso ‘nunca achei que fosse fazer isso’. Só que agora isso aconteceu tanto que já estou no ponto de pensar ‘ok, acho que eu já poderia imaginar que faria isso alguma vez na minha existência.”

A música de preferência nos shows em miniatura será “I Want You So Bad I Can’t Breathe”, single atual e, também, parte do projeto da marca de tequila. Em uma das apresentações que acontecem no próximo dia 24, no Rio de Janeiro, haverá transmissão pela internet e o público será convidado a participar ao vivo enviando frases e imagens que irão compor o videoclipe da faixa. Depois de tantas experiências malucas com vídeos, que incluem torradas (“Last Leaf”), cachorros (“White Knuckles”) e, claro, as famosas esteiras de “Here It Goes Again”, Tim e Damian não parecem muito preocupados em imaginar o resultado. Até tentam, mas a imaginação elaborada deles não dá conta de tentar prever.

Novamente “essa é a parte divertida!”. Só arriscam um palpite fazendo graça “eu imagino que as fotos serão somente mulheres muito, muito bonitas. Porque qualquer um que já viu nossos clipes sabe que só mostramos carrões e mulheres peitudas”, brinca Damian.

O frontman relembra experiências anteriores de incluir os fãs em seus sempre complexos processos de criação de clipes. Com “A Million Ways”, por exemplo, o público foi convidado a recriar a coreografia original deles. “Um erro comum das bandas é achar que, contando que os fãs sejam inclusos, o vídeo vai ficar incrível”, acrescenta o vocalista. “O que garante isso é uma boa ideia. Do jeito que vamos fazer as coisas, conseguimos ter certeza de que teremos um resultado legal e que todo mundo está incluso.”

Pocket shows do OK Go no Brasil

São Paulo

19 de novembro

16h – A ser revelado no site www.cuervocold.com

21h45 – Rua Augusta, altura do número 700

20 de novembro

16h – A ser revelado no site www.cuervocold.com

19h – Av Brigadeiro Faria Lima, 3825, esquina com Av. Juscelino Kubitschek*

Rio de Janeiro

23 de novembro

17h – Av. Vieira Souto, 110

21h – A ser revelado no site www.cuervocold.com

24 de novembro

21h – Praça Santos Dumont – Baixo Gávea

25 de novembro

13h - A ser revelado no site www.cuervocold.com

23h – Mem de Sá – Lapa

Os horários e locais estão sujeitos a alterações conforme as condições climáticas