Os 3 momentos mais absurdos (e reais) de Tiger King, novo sucesso da Netflix

A série documental é centrada no dono de zoológico Joe Exotic, que era dono de mais de 200 tigres

Redação Publicado em 12/04/2020, às 17h00

None
Tiger King (foto: reprodução Netflix)

Apontar os momentos bizarros e inacreditáveis de Tiger King, a nova série documental da Netflix, é uma tarefa quase impossível. Afinal, são vários fatos e relatos absurdos sobre  a vida dos donos de tigres e outros felinos de grande porte nos EUA.

Porém, conforme citados pelo site ScreenRant, listamos as revelações mais chocantes sobre a vida e crimes de Joseph Maldonado-Passage, mais conhecido como Joe "Exotic" com as pessoas que conviveram e trabalharam junto dele.


O clipe de "Here Kitty Kitty" 

As músicas (ou lip-syncs) de Joe eram sempre sobre a vida dele, mas "Here Kitty Kitty" talvez seja a faixa mais pessoal. A letra é um ataque a ativista de tigres Carole Baskin, que processava Exotic por maus-tratos a animais, a acusando de matar o segundo marido e deixar os tigres comerem o cadáver do homem. Além disso, o clipe mostra uma sósia de Carole com uma cabeça de mentira numa bandeja.

+++LEIA MAIS: Brinquedos de Toy Story viram personagens de Tiger King em ilustração bizarra; veja


Kelci Saffery perde o braço para um tigre

Kelci Saffery, funcionário transgênero do zoológico de Joe Exotic, perdeu dos braços ao ser atacado por um tigre no expediente. Mais chocante do que a cena em si, foi a recuperação do empregado, que recusou uma cirurgia que poderia reconstruir o braço, não fez terapia e 11 dias depois já estava trabalhando de novo.

+++LEIA MAIS: A bizarra conexão entre Michael Jackson e Joe Exotic, do sucesso Tiger King, da Netflix


Joe tentou encomendar o assassinato de Carole Baskin

Depois de anos envolvido em uma briga judicial com Carole Baskin, Joe Exotic tenta contratar um assassino para matar a ativista e se esconde para evitar a prisão. Enquanto parte dos entrevistados diz que o Tiger King foi coagido a praticar o crime para ser usado como bode expiatório, é inegável que ele teve contato com um amigo do sócio Jeff Lowe e com um policial disfarçado, no qual ofereceu dinheiro pela morte da inimiga.


+++ DISCOGRAFIA DO THE STROKES: OS ALTOS E BAIXOS DOS ARRUACEIROS DE NOVA YORK