Os 30 discos brasileiros de 2019 que você deveria ter ouvido, segundo a Rolling Stone Brasil

Emicida, Céu, Djonga, Black Alien, Elza Soares, Tássia Reis, MC Tha entre outros: selecionamos aqui os álbuns nacionais de 2019 que você talvez tenha perdido

Pedro Antunes, editor-chefe Publicado em 25/01/2020, às 11h00

None

Em 2019, a Rolling Stone Brasil não publicou aquelas tradicionais listas com os 20, 30, 50, 70 melhores discos nacionais ou internacionais do ano. Polêmico, eu sei. Uma pena, eu sei também. 

+++ LISTA: Os 100 melhores discos da década de 2010, segundo a Rolling Stone EUA 

Mas tudo é processo, construção e mudança. Com o volume massivo de lançamentos (em uma mesma sexta-feira foram lançados discos de Céu, Elza Soares, Chico César e outros) e diante das novas estratégias dos artistas em não se prenderem ao formato do disco, como é possível selecionar os melhores álbuns? Foi possível ouvir todos, todos, realmente todos? E os critérios de seleção estão claros? Ou a escolha é um misto de gosto pessoal com algumas avaliações técnicas?

+++ LEIA MAIS: Grammy: Os 10 vencedores de disco do ano da década de 2010 - e como estão hoje

Entendem como o buraco é mais fundo do que se imagina? Claro, tudo isso merece uma discussão própria, um textão, um debate e tudo mais, mas por enquanto o principal é entender que, em 2019, a Rolling Stone Brasil não fez uma lista de melhores discos, mas não deixou de lado o exercício de curadoria - esse, aliás, é uma parte cada vez mais importante no trabalho do jornalista de música de hoje. 

+++ LEIA MAIS: As 100 músicas que definiram a década de 2010, segundo a Billboard

Para o público, o leitor/ouvinte, as tais listas são cada vez mais um local de referência, mas não donas de verdades absolutas. Aliás, discordar de listas é quase tão melhor do que descobrir algo novo por meio delas.  

Mantivemos a ideia de curadoria, portanto, ao selecionar alguns dos muitos discos de 2019 aqui. Não são necessariamente melhores (isso vocês mesmos podem decidir, dentro dos gostos, filtros e referências de cada um).

+++ LISTA: Os melhores de 2019 da APCA: Djonga, Black Alien, Emicida, Pabllo Vittar e Ana Frango Elétrico

Mas são aqueles que acreditamos que deveriam ser ouvidos e, por algum motivo, alguém pode ter deixado-os passar. Motivos para isso são muitos: falta de tempo, excesso de discos lançados, por não estar "dentro da bolha" de determinado artista e até por preconceito, mesmo (sim, incluímos Tiago Iorc ao lado de nomes como Djonga, Emicida e Céu para provocar uma reflexão). 

+++ LEIA MAIS: Os 25 melhores discos nacionais do 1º semestre de 2019: Djonga, Black Alien e mais 

A lista tem 30, mas poderia ter 50, 70 discos. A redação da Rolling Stone Brasil curte de tudo um pouco, do trap nacional ao experimentalismo indie, passando obviamente pelo pop farofa, o pagodão dos anos 1990 e sertanejo sofrência.  

Fizemos também em formato de vídeo, divididos em duas partes. Vamos lá?

Discos que você deveria ter ouvido em 2019 (parte 1): 


Com spoiler: a primeira parte tem discos de Emicida, Céu, Raça, Karol de Souza, MC Thá, Hot e Oreia, O Terno, Coruja BC1, Clarice Falcão, Baiana System, Fresno, Liniker e os Carmelows, Sidoka, Jards Macalé e Scalene. 

Discos que você deveria ter ouvido em 2019 (parte 2): 


Com spoiler: na segunda parte da lista temos discos de Djonga, Elza Soares, Tássia Reis, Black Alien, Brvnks, Tiago Iorc, Ana Frango Elétrico, Terno Rei, Drik Barbosa, Nego Gallo, Francisco El Hombre, Teago Oliveira, Nill, Rincon Sapiência e Boogarins.

Ah, e não esqueçam de assinar o nosso canal de YouTube, porque a partir de fevereiro, teremos conteúdo publicado diariamente por lá. Sim, di-a-ri-a-men-te. Inscrevam-se aqui.