Os 8 momentos mais tristes de Bojack Horseman, série adorada da Netflix [LISTA]

Com reflexões sobre as inquietações humanas, a animação criada por Raphael Bob-Waksberg e produzida pela Netflix tem momentos sombrios; veja alguns

Redação Publicado em 14/02/2020, às 13h18

None
Bojack Horseman (Foto: Divulgação / Netflix)

[Atenção! Esta publicação contém spoilers de Bojack Horseman] 

Uma das animações adultas mais profundas já produzidas pela Netflix, Bojack Horseman chegou ao fim no início de janeiro. Ao longo de seis temporadas, o cavalo antropomorfo de meia-idade e cúmplices analisaram emoções humanas com um microscópio e nos fizeram refletir sobre temas complexos como vícios, depressão, relações tóxicas, solidão e dramas familíares, aliviados por críticas ácidas - e cômicas - sobre a cultura pop e norte-americana. 

+++ LEIA MAIS: BoJack Horseman, Big Mouth e mais: 6 séries de animação adulta na Netflix [LISTA]

Com isso, depois de elencar os cinco episódios em que Bojack jogou a real sobre a vida, selecionamos os oito momentos mais tristes da série. Veja a lista abaixo: 

+++ LEIA MAIS: Fim de Bojack Horseman força desfecho vazio depois de examinar tão bem os traumas humanos (e equinos) [ANÁLISE]

1. "Diga que eu sou uma pessoa boa"

Bojack Horseman demorou cerca de seis a sete episódios para encontrar um caminho para seguir, e no momento em que descobriu para que lado iria, a série nunca mais olhou para trás. Rumo ao pessismismo existencial, Bojack Horseman teve o primeiro momento de profundidade no 11º episódio da primeira temporada, o Downer Ending

Nesse momento, Diane já havia escrito um livro sobre Bojack e o estabeleceu como uma celebridade importante, mas também ridícula. Pela primeira vez, o personagem se mostra vulnerável ao implorar para que ela diga que ele "é uma boa pessoa". 

Considerando que o personagem só enxerga o verdadeiro fundo do poço um tempo depois, esse foi o primeiro vislumbre de um personagem completamente desesperado por aprovação. O episódio termina com o silêncio de Diane como resposta. 


2. Último suspiro

Aqui damos em um salto bem grande para o 15º episódio temporada final da série, mas que apresenta um clima parecido ao episódio citado acima. Esse recorte se passa dentro da cabeça de Bojack, em que vemos um jantar - que parece um purgatório - com as figuras mais importantes da vida do personagem, Sarah Lynn, Herb, Beatrice (mãe), Courdroy Jackson, Crackerjack e o pai de Bojack como astro do Secretariet. 

Ao passar longo do episódio, descobrimos que Bojack tomou muitas pílulas de remédio e acabou caindo na piscina e se afogando. Nesse purgatório, uma gosma preta (que faz alusão à escuridão e a morte) o persegue enquanto ele relembra do que disse sobre "sermos incapazes de escapar de nós mesmos e dos nossos próprios demônios". Quando enfim, ele para de fugir e a escuridão começa a engoli-lo, ele pega o telefone para ligar para Diane.

Esses momentos soam como o último suspiro do personagem e ele pergunta à versão imaginada de Diane, se ela poderia ficar no telefone com ele enquanto ele desaparece. 


3. Confusão mental de Beatrice 

Como já ilustrado, Bojack Horseman nunca foi um personagem muito simpático. E, de certa forma, ao longo da série, isso foi justificado pela péssima criação e relacionamento com os próprios pais. No entanto, neste episódio, apesar de ser uma péssima mãe para Bojack e, aparentemente uma péssima pessoa, é impossível não se sensibilizar com ela. 

Ao ilustrar os efeitos da doença de Alzheimer, o episódio nos leva para dentro da cabeça de Bea. No início da temporada ficou claro de que ela havia se deteriorado mentalmente, mas apenas em "Time's Arrow" enxergamos isso nitidamente. Além disso, o episódio ajudou a desvender o mistério acerca da mãe de Hollyhock. 

A reviravolta acontece no final, quando a mente de Bea lhe concede um momento de clareza, o qual Bojack estava esperando. No entanto, no momento em que ele tem a chance, ele decide deixá-la e sair da vida da mãe. 


4. O problema é você 

Todd geralmente não aparece nas listas de episódios tristes, porque ele e o Sr. Peanutbutter são os dois personagens mais otimistas e brilhantes do programa. Além de serem responsáveis pelo alívio cômico. Mas isso não quer dizer que Todd tenha vivido a própria jornada e experimentando as próprias decepções. 

No episódio, ele rompe o relacionamento com o Bojack. Eles podem não ter brigado para sempre, mas a amizade nunca mais foi a mesma depois dessa discussão. 

É um momento triste para BoJack perceber as responsabilidades de manter uma relação, e para nós, espectadores, sabermos que Todd recebeu as desculpas de BoJack.


5. Monólogo de Bojack 

Com certeza, esse é um dos episódios mais comentados da série: o único monólogo de BoJack em que ele fala no funeral da própria mãe. Embora o final acabe revelando que ele estava no velório errado, mas isso não muda o poder das palavras que foram ditas. Os vinte minutos são profundamente atraentes e o Bojack despeja as frustrações e sentimentos em relação à própria mãe e a busca por uma redenção. 


6. Princess Carolyn e Ruthie 

Para ter um final feliz ao lado de Judá, Princess Carolyn batalhou muito. Durante a série, temos uma falsa esperança de que o relacionamento com Ralph Stilton seria uma maneira da personagem enfim ser feliz. Mas isso acabou desmoronando depois da tensão de viver o quinto aborto.

No episódio chamado de Ruthie, conhecemos uma descendente distante de Princess Carolyn, que faz uma apresentação para os colegas de classe e conta a história da personagem como alguém forte e feliz. Mas isso é apenas uma projeção de PC para que ela se sinta melhor. 

Após superar as dores do aborto, PC decide adotar um porco-espinho e o nomeia de Ruthie como uma homenagem e isso dissipa um pouco a tristeza da personagem. 


7. Lobotomia da mãe de Beatrice 

A doença de Bea já apareceu nesta lista, mas o arco da infância da personagem volta quando vemos a mãe dela ser lobotomizada após a morte de Crackerjack. 

Intercalado com cenas de Bojack reconstruindo a casa antiga e o flashback dos avós ainda morando nela, o episódio The Old Sugarman Place nos envolve com uma história realmente emocionante. 

Ao longo dos 20 minutos, vemos os avós de BoJack, que inicialmente parecem ter uma vida feliz, antes da morte de Crackerjack na guerra. Depois disso, com a avó desestabilizada e o avô frio e insensível, as coisas desmoronam quando ele a lobotomiza.


8. A morte de Sarah Lynn

Inicialmente, Sarah Lynn parecia um alívio cômico por intrpretar uma estrela pop em decadência. No entanto, a personagem era muito real e o arco foi muito bem desenvolvido ao longo da série. Tanto que no momento em que a perdemos, ficamos de coração partido. 

A morte da personagem fica ainda mais intensa quando descobrimos, na temporada final, de que Bojack esperou 17 minutos antes de chamar uma ambulância para socorrê-la da overdose, porque esse tempo poderia ter a salvado. 

Ainda assim, mesmo sem esse contexto, o momento é realmente esmagador. As frases finais da personagem são "Quero ser arquiteta", e fecham o ciclo de uma personagem com um potencial perdido pelo vício em drogas e frustrações. 


+++ A MALDIÇÃO DO CORINGA, COM JOAQUIN PHOENIX, HEATH LEDGER, JACK NICHOLSON E MAIS: