Os incríveis 15 minutos de James Cameron

Sessão especial de Avatar, do mesmo diretor de Titanic, impressionou a plateia com trama futurista moldada em alta tecnologia 3D

Por Adriana Douglas Publicado em 22/08/2009, às 18h12

Quinze minutos: esse foi o tempo necessário para James Cameron embasbacar algumas dezenas de espectadores convidados para a sessão especial de Avatar. O cineasta, que não dirigia um longa-metragem desde Titanic, de 1997, serviu a plateia com imagens gigantes e tridimensionais de sua nova ficção, que mistura realidade e animação futurista na tela ultramoderna e tecnológica dos cinemas Imax.

A rápida prévia da produção foi introduzida pelo próprio diretor, retratado na telona também em 3D (o "teaser" foi exibido em diversos países"), e de cara mostrou que a aventura seria intensa. Um veterano de guerra paraplégico chamado Jake (interpretado por Sam Worthington) é enviado ao planeta Pandora no século 22, onde participa de um procedimento que transpõe sua mente humana no corpo de um alienígena da tribo Na'vi, nativo daquele lugar. E é na fidelidade aos movimentos humanos, usados nos humanoides azuis, que Cameron começa a inquietar o público.

Animais estranhos, florestas fluorescentes e cenas de ação eletrizantes deram o ritmo da projeção, deixando muitos de olhos arregalados. Para alcançar esse resultado, Cameron teve de esperar quase 15 anos pela tecnologia adequada para o filme - e valeu a pena. Avatar empurra a fantasia para um patamar muito superior do que se conhece atualmente em termos de animação.

A mistura de atores reais com a incrível arte tecnológica justifica os trabalhos de quatro anos de produção. Cada movimento, galho de árvore e até as dimensões dos penhascos parecem meticulosamente calculados. Ao final da sessão, pairava apenas uma sensação: 'já acabou?'. É assim que a ficção científica dá as boas-vindas a Cameron. Abram alas, Star Trek e Jurassic Park: Avatar chega no dia 18 de dezembro.

Assista abaixo ao primeiro trailer de Avatar: