Os últimos 12 meses de vida de Freddie Mercury: "The Show Must Go On", coquetéis e amputação

O vocalista do Queen faleceu em consequência da Aids no dia 24 de novembro de 1991

Redação Publicado em 06/01/2020, às 11h47

None
Freddie Mercury (Foto: Legacy / Media Punch)

Freddie Mercury descobriu ter Aids e ser portador positivo do HIV em 1987, mas só revelou o diagnóstico para a imprensa dias antes da morte. O vocalista do Queen enfrentou a dolorosa batalha contra a doença em silêncio e lutou para manter o legado artístico da banda até o último dia de vida.

Na década de 1980, a Aids ainda era uma doença pouco conhecida e cercada de tabus relacionados com a comunidade LGBTQ+. Os rumores sobre a doença do vocalista do Queen começaram a circular a partir de 1986, segundo a People

Contudo, o diagnóstico do artista só foi confirmado um ano depois e, além de fazer questão de não divulgá-lo para a mídia e negar que era HIV positivo, Mercury manteve a doença em segredo até mesmo dos amigos e da família.

+++ Leia Mais: Mary Austin, ex-namorada de Freddie Mercury, diz que cantor escolheu quando morrer

Apesar da tentativa, os mais próximos do cantor sabiam que ele enfrentava problemas graves de saúde. Antes mesmo de ser oficialmente diagnosticado em 1897, o Queen  encerrou a Magic Tour

Após o último show da banda, em 9 de agosto de 1986, a imprensa começou a pressionar o astro do rock para realizar declarações sobre o próprio estado de saúde e divulgou fotos que mostravam a fragilidade física do cantor.

Em 1989, o artista revelou a doença para os amigos e parentes. De acordo com uma matéria da Rolling Stone, Mercury não usou a palavra Aids para descrevê-la e apenas disse: "Vocês provavelmente perceberam qual é o meu problema".

+++ Adam Lambert dá a melhor resposta para os fãs de Queen sobre gravar músicas com banda

Um das últimas aparições públicas do vocalista do Queen foi no palco do Brit Awards, em 1990. Ao lado de Brian May,John Deacon e Roger Taylor, Mercury recebeu o prêmio de Contribuição Excepcional para a Música.

Quando o Mercury gravou "The Show Must Go On", em 1991, ele já estava nos estágios finais da doença, mas mesmo assim continuou o trabalho no estúdio. Segundo a revista GQ, ele bebeu um pouco de vodka e disse para os colegas de trabalho: "Eu fazer isso, po***".

No aniversário de 45 anos do cantor, no dia 5 de setembro de 1991, o Queen lançou o clipe de “These Are the Days of Our Lives”, o último clipe em que Mercury apareceu. Ainda nesse ano, a banda divulgou o disco Innuendo, que também foi o último com a participação do vocalista.

+++ Leia Mais: Freddie Mercury: 7 curiosidades que você certamente não sabia sobre o cantor

Apesar da persistência de Mercury, May revelou que naquele ano os integrantes do Queen sabiam que o artista não teria muito tempo de vida. 

"Todos nós sabíamos que não tinha muito tempo sobrando. Freddie queria que a vida dele fosse a mais normal possível. ele obviamente estava com muita dor e desconforto [...] Para ele, o estúdio era um oásis, um lugar onde a vida era apenas o mesmo que sempre foi. ele amava fazer música, ele viveu para isso", disse o guitarrista para o The Telegraph, em 2013.

No estágio final da Aids, Mercury precisou realizar uma amputação no pé e chegou a fazer um tratamento com os primeiros coquetéis desenvolvidos para Aids. Mas, pouco tempo depois, decidiu parar de tomar todos os remédios e preparar a própria despedida.

+++ Leia Mais: Freddie Mercury explicou por que deixou toda a herança para os gatos e ex-namorada

Um dia antes da morte, o vocalista do Queenpediu para que o representante dele finalmente divulgasse para imprensa o diagnóstico da doença. E aproveitou o comunicado para pedir que as pessoas deixassem o preconceito de lado e apoiassem a luta contra a Aids.

"Seguindo a enorme especulação da imprensa, eu gostaria de confirmar que eu fui identificado como HIV positivo e com Aids", disse Mercury por meio do representante.

Ele completou: "Eu senti que era correto guardar essa informação para proteger a privacidade daqueles a minha volta [...] No entanto, chegou a hora de meus amigos e meus fãs ao redor do mundo saberem a verdade e eu espero que todos se juntem a mim, meus médicos e todos pelo mundo na luta contra essa doença terrível".

Freddie Mercury morreu por causa de uma broncopneumonia no dia 24 de novembro de 1991.


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'