Oscar 2021: 3 lições que aprendemos com Professor Polvo, indicado a Melhor Documentário [LISTA]

Produção acompanha uma história inusitada para transmitir emocionantes lições sobre conexão com a natureza e fragilidade da vida

Camilla Millan Publicado em 23/04/2021, às 17h40

None
Professor Polvo (Foto: Divulgação/Netflix)

Indicado a Melhor Documentário no Oscar 2021, Professor Polvo é deslumbrante. Além do visual incrível, a produção ganha destaque ao transmitir diversas lições aos espectadores - da conexão com a natureza à importância de valorizar a vida.

Professor Polvo é dirigido por James Reed e Pippa Ehrlich, e acompanha a conexão inusitada entre o cineasta Craig Foster e um polvo. O documentário apresenta uma diferente perspectiva sobre o mundo marinho ao mostrar a inteligência e, inclusive, o carisma do animal. 

+++LEIA MAIS: 3 motivos para assistir (e 3 para não assistir) Seaspiracy, novo documentário da Netflix

É difícil não ficar impressionado com as habilidades do polvo e a conexão única entre ele e o cineasta Craig Foster, que visita o animal diariamente por quase um ano. Para conhecer mais sobre o emocionante documentário Professor Polvo, a Rolling Stone Brasil separou 3 lições que aprendemos com o documentário: 


Fragilidade da vida

Professor Polvo consegue mergulhar em uma interessante reflexão sobre fragilidade. O animal, mesmo o tão habilidoso, está suscetível a constantes ameaças e ao ciclo natural da vida - e ao perceber isso, o cineasta Craig Foster repensa sobre a vulnerabilidade dos animais e seres humanos.

+++LEIA MAIS: Oscar 2021: 4 coisas que aprendemos em Collective, indicado a Melhor Documentário [LISTA]

A atualidade mostra, de uma vez por todas, essa fragilidade. A pandemia de Covid-19 prova que, de fato, o ser humano é frágil. Por isso, é preciso valorizar todos os momentos e ir atrás do que te deixa feliz.


Conexão com natureza

O documentário é uma história de amor. Foster passa a amar o polvo, assim como o ecossistema que o cerca. Ao reconhecer as belezas e complexidades desse mundo marinho, o cineasta se conecta consigo e com o oceano.

+++LEIA MAIS: Oscar 2021: 4 coisas que aprendemos em Time, indicado a Melhor Documentário [LISTA]

A natureza é transformadora. Ao longo desse processo de se conectar com o mundo marinho, o cineasta percebe a complexa rede de relações e animais que preenchem o fundo do mar. O resultado da conexão com a natureza é uma transformação interna potente em Foster, que modifica a maneira que lida com os problemas, relaciona-se com família e pensa sobre o mundo. 

Diante disso, a produção também transmite a importância de preservar esses ambientes. A conexão com a natureza não é possível sem o respeito pelos animais e ecossistema. 

+++LEIA MAIS: Oscar 2021: 4 motivos para assistir Agente Duplo, indicado a Melhor Documentário de Longa-Metragem [LISTA]


Humildade para aprender

Muitas vezes, os seres humanos se enxergam como detentores de um saber superior e detentores de um poder que, na realidade, não têm. O mar mostra diversidade e complexos saberes - muitas vezes desconhecidos pelos humanos.

A potência do mar pode destruir o ego de muitos. E só dessa forma é possível aprender. Se você estiver aberto a conhecer novas realidades, o mundo marinho se abre como uma sala de aula - e o professor polvo estará lá para ensinar. 

+++LEIA MAIS: Samba, rap e hip-hop: histórias que aprendemos com o documentário AmarElo - É Tudo Pra Ontem, do Emicida

Professor Polvo ensina que, caso haja humildade e disponibilidade de aprender, é possível retomar a conexão ancestral entre seres-humanos e a natureza.


+++ FBC E VHOOR | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL