Oscar 2021: 4 coisas que aprendemos em Time, indicado a Melhor Documentário [LISTA]

Dirigido por Garrett Bradley, produção mostra a luta de Sibil Fox Richardson para libertar o marido da prisão

Felipe Grutter (com supervisão de Yolanda Reis) Publicado em 16/04/2021, às 14h10

None
Time (Foto: Reprodução/Amazon Prime Video)

Um dos indicados como Melhor Documentário no Oscar 2021 é Time (2020), dirigido por Garrett Bradley. Com uma trama reflexiva e emocionante, o filme fez o público pensar sobre diversos âmbitos da vida, como família, destino, justiça e muito mais.

Lançado no Festival Sundance de Cinema em 25 de janeiro de 2020, o longa acompanha Sibil Fox Richardson, empresária e mãe de seis filhos conhecida como Fox Rich, enquanto luta pela libertação do marido, Robert G. Richardson (Rob), condenado a 60 anos de prisão por assalto a banco. Rich também participou do crime, mas serviu três anos e meio de reclusão.

+++LEIA MAIS: Oscar 2021: Veja os indicados da 93ª edição da premiação

Time é inteiramente em preto e braco, e mistura materiais caseiros de Fox Rich e filmagens da diretora Garrett Bradley. Concorre na categoria Melhor Documentário contra Collective (2019), Crip Camp: Revolução pela Inclusão (2020), The Mole Agent (2020) e Professor Polvo (2020).

A narrativa emocionante de Time nos ensina muito. Veja quatro lições que aprendemos abaixo:

+++LEIA MAIS: 5 momentos marcantes na história do Oscar - de discurso de Chris Rock a selfie das celebridades [LISTA]


Nossas atitudes podem influenciar muitos ao nosso redor

Ao decidir assaltar um banco, Fox Rich e Rob afetaram não apenas eles mesmo, mas também muitos ao redor.

Em determinado momento do documentário, a protagonista relembra uma conversa com algumas das vítimas do assalto anos depois - e percebeu como isso as afetou. Além disso, a família do casal sofreu bastante, porque os filhos cresceram sem a presença do pai.

+++LEIA MAIS: Oscar 2021: Como as relações familiares preservam as raízes em Minari? [REVIEW]


Cada um tem seu próprio Tempo

Para Fox Rich, "Tempo" é olhar para fotos dos filhos pequenos e vê-los crescidos e com barba - uma visão mais otimista. Segundo um dos filhos de Rich, Justus Fox Richardson, "Tempo" é algo diferente, porque é imparcial e duro com as pessoas.

O documentário reafirma a visão de Justus. Enquanto a família espera pela liberdade de Robert Richardson, Fox Rich envelhece e passa a ter cabelos grisalhos, os filhos crescem e entram na faculdade. Rob perde tudo isso.

+++LEIA MAIS: Oscar 2021: 4 filmes e séries para conhecer a carreira de Steven Yeun, estrela de Minari [LISTA]


A importância da família

A história de Rob e Fox Rich nos mostra como podemos contar com nossa família. Mesmo cometendo um crime, os parentes do casal os ajudaram com os filhos e a seguir a vida depois da prisão.

Depois de 20 anos de reclusão, Rob foi recebido de braços abertos pelos filhos e restante da família, com uma festa emocionante para comemorar o retorno dele.

+++LEIA MAIS: Os 20 melhores atores do Oscar nas últimas duas décadas, do pior ao melhor, de Leonardo DiCaprio a Jamie Foxx [LISTA]


Justiça nem sempre é justa

Rob e Fox Rich cometeram um crime e precisaram pagar por isso, mas a maneira como Rob foi tratado pelo Estado não foi tão justa. Enquanto a protagonista pegou três anos e meio de prisão, o marido foi condenado a 60 anos - uma diferença, no mínimo, discrepante.

Além disso, enquanto Rich tentava emplacar a condicional de Rob, foi completamente enrolada pelo escritório do juiz. Algo simples demorou semanas para se concretizar. A protagonista também fala como o sistema prisional é injusto e cruel com as populações pretas e pobres.

+++LEIA MAIS: Indicado ao Oscar 2021, Borat 2: Fita de Cinema Seguinte ganhará especial com cenas inéditas no Amazon Prime Video


+++ LAGUM | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL