Elegemos 13 canções inesquecíveis que farão você ter saudade de Bob Marley

Redação Publicado em 11/05/2015, às 18h13 - Atualizado às 20h01

Galeria - Bob Marley
Divulgação

Em 1983, ainda seria lançado Confrontation, composto por gravações inéditas de Marley.

Uprising, de 1980, é o último disco de inéditas lançado com o Rei do Reggae ainda vivo. Ele morreria um ano depois, por complicações de um câncer surgido no dedão do pé. “Redemption Song” se tornou uma espécie de hino dos fãs da lenda.


Bob “acorda” e levanta a bandeira da unificação do povo africano em Survival, cuja capa é composta por 48 bandeiras de países africanos, mais a de Papua Nova Guiné (???), uma ilha da Oceania. “Zimbabwe" é uma das pérolas desse trabalho.


A mesma fumaça paz e amor de Exodus envolve Kaya, com faixas como "Is This Love", “Satisfy My Soul” e “Running Away”.


Após sobreviver a uma tentativa de homicídio em Kingston, na Jamaica, Marley se exila em Londres, onde em 1977 grava Exodus. Consequência da experiência traumática (ou não), este disco é mais leve do que os anteriores.


Um dos álbuns de maior sucesso internacional de Bob Marley, Rastaman Vibration tem canções “pra cima”, como "Positive Vibration" e "Roots, Rock, Reggae", e está repleto de hits (sempre eles) engajados, casos de “War”, “Rat Race” e “Want More”.

Natty Dread é o primeiro álbum de Bob Marley sem Peter Tosh e Bunny Wailer. Além da “independência” do líder, a introdução do backing vocal feminino nas canções também é um marco, que pode ser conferido na faixa título.


Bob Marley e o The Wailers sabiam cantar a paz, mas também podiam convocar a rebelião. Burnin' começa com um brado à resistência, “Get Up, Stand Up”, e também tem “Small Axe”: “So if you are the big tree/We are the small axe/Sharpen to cut you down (well sharp)/To cut you down (Então se você é uma grande árvore/Nós somos um grande machado. Afiados para te cortar abaixo. Afiados para te cortar abaixo)".


Catch a Fire é um dos discos mais icônicos da carreira de Marley – aquele com o artista em perfil segurando um grosso cigarrinho, lembra? “No More Trouble” é um dos clássicos que ajudou o álbum a entrar para a eternidade.


A despeito do nome e das muitas “pedradas” compiladas neste disco, The Best of The Wailers não é uma coletânea. “Soul Captives” está presente aqui.


Soul Revolution: A temática pacifista passa a ser cada vez mais recorrente como fonte inspiradora de Marley e The Wailers. “Fussing And Fighting” é uma das muitas canções que questionam a violência da Jamaica e tantos outros rincões subdesenvolvidos mundo afora.
Cinco anos depois, os jamaicanas voltaram com Soul Rebels, que começa com faixa quase homônima, “Soul Rebel”. A qualidade da gravação é bastante superior e o grupo passa a se beneficiar da produção musical de Lee "Scratch" Perry.
The Wailing Wailers, de 1965, é o primeiro álbum do The Wailers, reunindo três deuses do reggae, Bunny Wailer, Peter Tosh e ele, Bob Marley. O disco traz uma versão menos famosa de “One Love”, tocada como ska.