Pulse

Pais processam Fortnite por ser um jogo "viciante como cocaína"

Segundo a acusação, a Epic Games estuda como contaminar os jovens

Redação Publicado em 09/10/2019, às 18h20

None
Fortnite (Foto: Divulgação / Epic Games)

A companhia responsável pelo jogo Fortnite está sendo processada por um grupo de pais canadenses. A ação alega que o game causa um vício químico nos jovens.

A empresa de advocacia, Calex Légal, contratada pelos pais processa a Epic Games, criadora do jogo, e pontua que "o jogo é tão viciante quanto cocaína" e causa a dependência dos usuários.

Ainda, a empresa relata que a Epic fez um estudo, ao lado de psicólogos, para criar o jogo "realmente desvendando o cérebro humano". Segundo uma advogada à frente do processo, Alessandra Esposito Chartrand, a companhia de jogos sabia do nível de vício que o jogo poderia causar.

+++LEIA MAIS: Garoto de 16 anos ganha US$ 3 milhões ao se tornar o primeiro campeão mundial de Fortnite

O processo segue o mesmo modelo do caso contra a indústria do tabaco, que aconteceu em 2015, e alegava que as marcas de cigarro não informavam devidamente os clientes sobre os riscos do produto.

Alessandra expõe que no caso da acusação contra o jogo, os pais falaram: "se soubéssemos que seria tão viciante a ponto de destruir a vida de nossos filhos, nunca deixaríamos eles começarem a jogar Fortnite, ou teríamos acompanhado mais de perto."

Até agora, a Epic Games não respondeu às acusações.