Saiba como foram os shows do Palco Sunset, no Rock in Rio 2011

Móveis Coloniais de Acaju, Orkestra Rumpilezz e Mariana Aydar fizeram o primeiro show do festival nesta sexta, 23

Patrícia Colombo e Stella Rodrigues, do Rio de Janeiro Publicado em 23/09/2011, às 20h46 - Atualizado em 24/09/2011, às 00h36

Mariana Aydar se apresenta no Palco Sunset nesta sexta, 23

Ver Galeria
(2 imagens)

O Palco Sunset abrigou as primeiras apresentações da edição de 2011 do Rock in Rio, que teve início nesta sexta, 23, na Cidade do Rock. A estrutura é bem menor que a do Palco Mundo, que receberá as principais atrações do evento, mas o Sunset se destaca pela variedade musical e pelos encontros entre artistas.

O primeiro show do dia ficou a cargo do Móveis Coloniais de Acaju, junto à competente e numerosa Orkestra Rumpilezz e a Mariana Aydar, animando o público que ainda estava chegando ao local. De acordo com o cronograma divulgado no site oficial do evento, a apresentação deveria ter começado às 14h30, mas, por conta de ajustes no som, o show acabou atrasando. O time (que somava ao todo quase trinta pessoas) apareceu às 15h, abrindo com “A Grande Mãe”, do divertido Móveis. Mariana entrou no palco em seguida e executou “Solitude”, faixa de seu novo álbum Cavaleiro Selvagem aqui te Sigo, e “Peixes Pássaros Pessoas”, do disco homônimo de 2009.

Na “Orkestra Colonial de Aydar”, como disse Letieres Leite (idealizador e líder da Rumpilezz) em determinado momento da tarde, todos os artistas tiveram seu espaço: Mariana com suas já citadas canções, a Rumpilezz com “Alafia” e “Das Arábias” e o Móveis com músicas como “Cão Guia”, “Não Foi em Vão” e “Copacabana”. A banda, aliás, até decidiu brincar com o público, descendo, junto a Mariana, até a pista e organizando uma roda animada com os fãs que sabiam de cor todas as faixas do Móveis. No encerramento, já de volta ao palco, os músicos realizaram uma versão cheia de metais e percussão para “Lucy in the Sky with Diamonds”, clássico dos Beatles.

Ed Motta, Andreas Kisser e Rui Veloso

Se o show que abriu o palco Sunset foi repleto de brasilidade, a apresentação que veio na sequência optou por outros caminhos musicais. Ed Motta, Andreas Kisser e o português Rui Veloso, acompanhados de outros músicos (ao todo, cinco guitarras em ação) compuseram um repertório recheado de clássicos do rock. Abrindo com “Burn”, do Deep Purple, passaram por hits dos anos 60 e 70 e empolgaram o público com veia mais roqueira. Entre as faixas executadas, estiveram “Purple Haze”, de Jimi Hendrix, “Got to Get you Into my Life”, dos Beatles, “Don’t Let me be Misunderstood”, do Animals, e “Layla”, do Derek and the Dominos (mais conhecida na versão de Eric Clapton). O encerramento ficou por conta de “Black Dog”, do Led Zeppelin.

Bebel Gilberto e Sandra de Sá

A dupla de cantoras entrou no palco Sunset às 17h25, e optou por “Blues da Piedade”, composta por Cazuza (que era amigo das duas), para abrir a apresentação. Demonstrando bastante carinho uma com a outra, Bebel e Sandra mesclaram no repertório faixas da carreira das duas, bem como outros sucessos de Cazuza (“Ideologia”, “Todo Amor que Houver Nessa Vida”, “Brasil”). “Cazuza que supervisionou isso aqui”, brincou Sandra, ao comentar a edição de 2011 do Rock in Rio - e a inevitável relação do cantor com o evento. Em diversos momentos da noite, durante as faixas do ex-frontman do Barão Vermelho (morto em 1990 em decorrência de Aids), a dupla se emocionou e se abraçou. Entre outras canções que integraram o set list, foram tocadas “Sun Is Shining” e “Aganju” (ambas de Bebel) e “Olhos Coloridos” e “Joga Fora no Lixo” (de Sandra de Sá). As cantoras se despediram do público com trechos de “Preciso Dizer que Te Amo”.

The Asteroid Galaxy Tour e The Gift

Os atrasos no palco Sunset prejudicaram bastante a apresentação dos artistas que fizeram o último encontro musical do dia. Iniciando os trabalhos dez minutos antes do horário previsto para acontecer a abertura do palco Mundo, 19h – ou seja, com muito atraso -, The Gift e The Asteroid Galaxy Tour fizeram bonito em não perder o rebolado com a falta de público – e com o êxodo constante dele.

Os portugueses do Gift começaram a perfomance, que estava bem animada e segurando a atenção do público. Porém, na última música, os fogos de artifício que abriram as atividades do palco Mundo começaram a tomar o céu e o grupo terminou seu setlist tocando para as nucas das pessoas, já que todo mundo se virou para ver o que estava acontecendo do outro lado da Cidade do Rock.

Quando chegou a vez dos dinamarqueses do Asteroid Galaxy Tour, o telão ao fundo do palco nem exibia mais as imagens daquele próprio show, mostrava o que estava acontecendo no palco principal. Ficou por lá somente quem era fã, mesmo. Nem com a maior parte das pessoas dando as costas e indo embora as duas atrações internacionais do palco Sunset deixaram o profissionalismo de lado – fizeram o show mais animado possível. A performance terminou com os 13 integrantes, a soma dos dois grupos, executando o grande hit do Asteroid Galaxy Tour, “The Golden Age”.

Veja fotos dos shows clicando nos links abaixo.