Para a crítica, X-Men: Fênix Negra tem pouca razão para existir

O longa encerra a saga X-Men e chega aos cinemas brasileiros nesta sexta, 6

Redação Publicado em 05/06/2019, às 13h16

None
Sophia Turner em X-Men: Fênix Negra (Foto: Divulgação)

As expectativas para a chegada de X-Men: Fênix Negra eram bem altas. O longa, que estreia nos cinemas brasileiros nesta sexta, 6, já tem críticas severas em relação ao desfecho. Muitos acreditaram que ele poderia finalmente fazer jus à icônica saga dos mutantes nos HQs, mas não foi isso que aconteceu.

Até o momento do fechamento deste texto, o filme conquistou apenas 22% de aprovação no site do Rotten Tomatoes. Enquanto isso, o jornal britânico The Telegraph o definiu como "Angustiante, exaustivo e sem muita razão para existir", dando apenas uma estrela para longa. 

A Gamespot também não se emocionou e chamou a Fênix Negra de “uma bagunça chata e sem roteiro”. "Você poderia culpar o elenco por ser muito grande, ou o roteiro por tentar conciliar muitas coisas ao mesmo tempo, ou toda a narrativa que realmente não sabe o que quer dizer. Mas a verdade é que nada disso importa", concluíram. 

O TheWrap pontuou que X-Men: Fênix Negra é um decepcionante filme de super-herói, com uma história muito comum, atores desinteressados e só com algumas sequências de ações legais e muitas oportunidades perdidas". A revista britânica Empire disse que "se este é o fim, é um adeus sólido e não espetacular". 

O jornal The Guardian também fez críticas ao filme e deu apenas duas estrelas em cinco. No entanto, elogiou a atuação do ator James McAvoy, como Xavier. 

X-Men: Fênix Negra se passa em 1992, dez anos após X-Men: Apocalipse. Com a direção de Simon Kinberg, o longa conta com Sophia Turner, Jennifer Lawrence, Nicholas Hoult, Alexandra Shipp, Kodi Smit-McPhee, Evans Peters e James McAvoy. 

+++ De Zeca Pagodinho a Kendrick Lamar, Djonga escolhe os melhores de todos os tempos