Para produtor de Back to Black, doc mostra “genialidade” de Amy Winehouse

“Esqueço que nem todo mundo teve a oportunidade de ver este lado dela”, diz Mark Ronson

Rolling Stone EUA Publicado em 07/07/2015, às 15h31 - Atualizado às 17h26

Mark Ronson

Ver Galeria
(4 imagens)

O aclamado documentário de Amy Winehouse, Amy, ainda não estrou nos cinemas norte-americanos (não há previsão de exibição do longa no Brasil), e já vem recebendo boas críticas pela intensidade e abordagem, mas algumas das pessoas próximas à cantora fazem campanha contra Amy.

Galeria: as cinco maiores canções de Amy Winehouse.

Enquanto a família de Amy anunciou que se “dissociou” do documentário porque ele apresenta o pai da cantora de uma maneira negativa, um dos colaboradores mais próximos de Amy – e produtor de Back to Black – Mark Ronson, elogiou o filme, dizendo que ele captura a “genialidade” da artista.

“Obviamente, é difícil assistir ao filme porque ele revive memórias”, disse Ronson ao The Mirror. “Mas o que eu amo disso é que minha esposa nunca chegou a conhecer Amy, e eu sempre estou contando a ela histórias nossas no estúdio, e sobre as coisas espertas e espirituosas que Amy dizia.”

Além da música: o legado fashion de Amy Winehouse.

“Assistimos ao filme e ela disse: ‘Agora, eu entendi. Agora consigo ver a Amy da qual você fala’”, acrescentou o produtor. “Esqueço que nem todo mundo teve a oportunidade de ver este lado dela.”

Dirigido por Asif Kapadia, Amy é construído com vídeos caseiros e filmagens de arquivo que mostram Amy conforme ela se desenvolve de uma adolescente talentosa, passando a ser uma estrela relutante e, por fim, um fenômeno mundial. O espectador também acompanha os documentos e registros da espiral descendente dela.

Mais sobre Amy

Lançado em maio deste ano no festival de Cannes, o longa-metragem do diretor Asif Kapadia, de Senna, explora as relações amorosas da cantora inglesa, as disputas com a mídia e a música da artista, morta em 2011, aos 27 anos, por intoxicação alcoólica.

Trailer oficial de Amy mostra a ascensão musical da cantora.

Amy tem sido alvo de críticas da família dela. Os familiares chegaram a colaborar com o projeto de Kapadia e mais tarde o abandonaram, qualificando-o como “enganoso.”

Mitch Winehouse, pai da estrela, seria apontado no longa, que traz gravações e arquivos de imagem inéditos, como responsável pelo vício dela em álcool e drogas. Em resposta, a equipe responsável pelo registro afirmou que “as filmagens aconteceram com o pleno respaldo da família Winehouse.”

Família de Amy Winehouse diz que documentário sobre a cantora é "enganoso".

À parte o sucesso musical, Amy passou os últimos meses de vida tendo a produção artística ofuscada por problemas pessoais, batalhas com paparazzi, conflitos legais e notícias de abuso de substâncias tóxicas.

Amy morreu com apenas dois álbuns lançados, Frank e Back to Black. Em dezembro de 2011, o disco póstumo Lioness: Hidden Treasures chegou às lojas, com faixas esquecidas, versões alternativas, duetos e covers.