Parlamento Europeu acusa Bolsonaro de crimes contra a humanidade

Em audiência nesta quinta, 15, diversos deputados criticaram a gestão do governo brasileiro na pandemia de Covid-19

Redação Publicado em 15/04/2021, às 17h25

None
Jair Bolsonaro (Foto: Gabriela Bilo / Estadão Conteúdo / Agência Estado / AP Images)

Em audiência nesta quinta,15, o Parlamento Europeu avaliou a situação da Covid-19 no Brasil. Os deputados participantes da reunião acusaram Bolsonaro de crimes contra a humanidade, e afirmaram que a situação atual do país é resultado das decisões do presidente. As informações são do colunista Jamil Chade, do UOL.

Na Europa, o Brasil é considerado uma ameaça sanitária global. Por isso, a audiência serviu para discutir sobre a situação brasileira e apresentar questões ao embaixador do Brasil na UE, Marcos Galvão. A reunião pode ser considerada um reflexo da repercussão internacional da crise.

+++LEIA MAIS: Bolsonaro cometeu homicídio e crimes de responsabilidade na pandemia, diz OAB

Diversos deputados usaram o encontro para criticar as ações do presidente Jair Bolsonaro, assim como acusá-lo de cometer crimes contra a humanidade. A alemã Anna Cavazzini, eurodeputada pelo Partido Verde, falou: "O que ocorre no Brasil é uma tragédia. Mas poderia ter sido evitada e baseada em decisões políticas equivocadas."

Cavazzini também destacou a fome enfrentada pela população brasileira e questionou o destino do dinheiro: “Se Bolsonaro nega a crise e coloca medidas que impedem a ação contra a pandemia, para onde é que o dinheiro vai?”

+++LEIA MAIS: Bolsonaro reclama de investigações sobre governo na pandemia: 'Completamente direcionada contra mim'

O eurodeputado Miguel Urban Crespo, do partido Podemos, também fez diversas críticas a Bolsonaro, e disse que o presidente é o responsável pela crise. Além disso, o deputado falou sobre ser uma “autêntica vergonha” que a União Europeia continue negociando um acordo comercial com o Mercosul. 

Bolsonaro declarou guerra aos pobres, à ciência, à vida e à medicina (...) Vamos dizer claramente: a necropolítica de Bolsonaro é um crime contra a humanidade contra o povo brasileiro,” falou.

+++LEIA MAIS: Com 10% da população imunizada, Bolsonaro promete acelerar vacinação no país

Camila Asano, diretora da ONG Conectas, também foi convidada para falar sobre a situação brasileira: "Sofremos perdas de vidas que poderiam ser evitadas (...) Não vivemos mais em uma normalidade democrática."

A audiência também discutiu a morte de ativistas de direitos humanos no Brasil e a mudança na distribuição de vacina para socorrer o país. O embaixador Marcos Galvão fez diversos apelos à União Europeia para dar mais doses de imunizantes ao Brasil.


+++ LAGUM | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO | ROLLING STONE BRASIL