Paul McCartney no país: Brasília tem interesse, mas negociação ainda está em fase inicial

Noticiados por site britânico, shows do ex-beatle em SP, RJ e DF não foram confirmados; vice-governador do DF se empenha em trazer McCartney e Roberto Carlos para o aniversário de 50 anos da capital do país

Da redação Publicado em 29/07/2009, às 15h25

Desde que o site britânico Song Kick anunciou, no começo da semana, três shows de Sir Paul McCartney no Brasil, o burburinho é grande. E não apenas pela ansiedade em receber o ex-beatle, em visita que já foi especulada por Lauro Jardim, colunista da Veja, em junho. O site, especializado em divulgar apresentações ao redor do globo, não pode ser tomado como fonte infalível, já que está aberto a colaborações externas - assim como na Wikipedia, é possível que alguém acrescente informações aleatórias a qualquer hora (em geral, um editor as corrige, mas nem sempre antes de elas se espalharem pela rede).

Os shows aconteceriam no Estádio do Morumbi (SP), no Maracanã (RJ) e na Esplanada dos Ministérios (DF), todos em abril de 2010. Até aí, as informações batem com as reportadas pela Veja. O problema é que, nas horas seguintes, o site passou a informar que Curitiba e Recife também receberiam McCartney.

No Twitter, houve quem dissesse ter incluído as duas últimas cidades, só para testar o sistema - para se ter uma ideia, até Mamonas Assassinas, banda cujos integrantes morreram num acidente de avião, em 1996, apareceu confirmada para abrir uma das apresentações. Nenhum dos locais mencionados no site ratificou as informações.

O Jornal de Brasília apurou a notícia a respeito do show no Distrito Federal, que estaria interessado em trazer Sir McCartney ao país para as comemorações dos 50 anos da capital do país. O periódico confirmou nesta quarta, 29, com a assessoria da Brasiliatur (empresa de turismo do governo), que o artista está, de fato, sendo sondado. Mas as negociações, longe de fechadas, ainda estão "na fase inicial de discussão".

Outro rumor que ganhou força nos últimos dias fala de Roberto Carlos como atração nacional. A Brasiliatur reitera o interesse. Novamente, contudo, não dá o nome como certo. Vice-governador do Distrito Federal, Paulo Octávio (DEM) se esmera em conseguir os dois astros para o evento. "Seria uma grande festa: 50 anos de carreira de Roberto Carlos, Paul McCartney e de Brasília. Imaginem os dois no mesmo palco?", disse ao Jornal de Brasília.

Antes que a onda de pessimismo desague, é provável que o Brasil esteja na rota de McCartney, que planeja uma megaturnê - provavelmente, a última de sua carreira - para o ano que vem. As apresentações por aqui estariam sendo tocadas pelo empresário Luiz Oscar Niemeyer, que já trouxe o músico ao país em 1990, no Rio de Janeiro, em dois shows no Macaranã que ficaram conhecidos como Paul in Rio.

Três anos depois, o músico voltou pela segunda e última vez, para tocar em Curitiba e São Paulo.

Contratados pela Planmusic, empresa de Niemeyer, já se apresentaram no Brasil Rolling Stones, Coldplay, Elton John (com abertura de James Blunt) e U2 - a banda de Bono, aliás, é outra especulada para tocar nos 50 anos de Brasília.